Uso de medicamento humano causa intoxicação de animais domésticos em Imperatriz, MA

507
Uso de medicamento humano causa intoxicação de animais domésticos em Imperatriz, MA
Em Imperatriz, pelo menos três gatos intoxicados com remédio humano são atendidos por semana. | Foto: Ana Campos

As clínicas veterinárias de Imperatriz atendem uma média de três casos por semana de animais domésticos com intoxicação medicamentosa causada pelo uso indiscriminado de medicamentos humanos. “É considerado um número de casos alarmante”, comenta a patologista veterinária, especialista cirúrgica de cães e gatos, Lyah Lamarck.

Em Imperatriz, pelo menos três gatos intoxicados com remédio humano são atendidos por semana

O médico veterinário e coordenador do Centro de Zoonose de Imperatriz (CCZ), Paulo Henrique Soares Silva, afirma que entre os principais fatores para o alto índice de ocorrência do uso indiscriminado de medicamento humano em animais domésticos está o fato de os proprietários dos animais acreditarem que determinado remédio pode ser benéfico tanto para eles, quanto para o animal.  “Os donos usam os remédios em dosagens erradas e sem nenhuma prescrição médica. Várias vez atendi em meu consultório casos de animas que apresentavam problemas de gastrite, vômitos e até mesmo úlceras devido ao uso excessivo de remédios”, explica Soares.

O veterinário revela, ainda, que não menos importante que esse motivo está o fato de que os donos usam essa prática como forma de baratear o tratamento do animal, já que uma consulta veterinária nas clínicas de Imperatriz custa em média de R$ 80,00 a R$ 100,00, mas que depois acabam tendo de gastar bem mais que isso.

Segundo a veterinária Lyah, esta prática de barateamento acaba sendo prejudicial, inclusive, no tratamento adequado do pet já que estes ficam resistentes às doses corretas dos medicamentos. Ela explica que quando o profissional veterinário tenta reverter o problema do bicho que foi medicado de forma errada, apresentando casos não só de intoxicação como também hepatite medicamentosa, ou seja, uma grave inflamação do fígado causada pelo uso de medicamentos, podendo ocasionar tanto hepatite aguda como hepatite fulminante. “Isso acontece principalmente quando os animais estão consumindo antibióticos indiscriminadamente fazendo com que a doença venha se tornar resistente a tais remédios aplicados de forma correta, isso dificulta extremante o tratamento adequado ao animal”, comenta a veterinária Lamarck.

Quem faz? 

A cabeleireira Denise Sabino Santos recentemente passou por uma experiência desagradável com seu gatinho de estimação. Ela conta que ele apresentou algumas lesões pelo corpo e perda de peso. Sem consciência dos riscos de medicá-lo sem nenhuma indicação profissional, a cabeleireira Denise optou por medicar o animal por conta própria, agravando ainda mais o quadro clínico do pet. “Durante uns três dias, fiquei usando os medicamentos que no meu ponto de vista poderiam resolver o problema, mas percebi que o meu gatinho estava cada vez pior”, diz Denise.

A cabeleireira Denise errou ao medicar seu pet com remédio humano e teve de buscar ajuda de profissional para salvar o bichinho
Mas vale ressaltar que mesmo pessoa com mais conhecimento na área da saúde também costuma cometer o erro de medicar o animal sem prescrição médica.  De acordo com a estudante do curso de Veterinária e estagiária em algumas clínicas de Imperatriz, Leticia Nogueira, vários profissionais da área da saúde acabam incorrendo no erro, principalmente os formados na área de Farmácia. Conforme ela explica, por terem bastante contato com a medicação humana, eles terminam achando que o animal pode ser medicado com qualquer medicamento nem sempre se atentando para as dosagens corretas. “O perfil das pessoas que costumam medicar seus animas de estimação, sem nenhuma indicação médica, na maioria das vezes são senhoras já de idade ou principalmente proprietários que trabalham na área da saúde”, relata a estagiária Leticia.

Conheça abaixo a lista dos medicamentos proibidos para gatos:

Ácido acetil salicílico (Aspirina)
Paracetamol (Tylenol, Anador)
Pseudoefedrina (Claritin, TylenolSinus, Loratadina)
Salicilato de Bismuto (PeptoBismol, Peptozil)
Iboprofeno (Advil)
Piroxican (Feldene, Inflamene)
Enema de Fosfato (FleetEnema)
Piretróide (Antiparasitário como Butox)
Levamisol (Ascaridil)
Azatioprina (Imuram)
Piridium
Diclofenaco potássio (Cataflan)
Diclofenaco sódico (Voltaren)

Alguns medicamentos proibidos para cães:

Diclofenaco de potássio (Cataflan)
Diclofenaco sódico (Voltaren)
Piridium
E a grande maioria dos anti-inflamatórios de uso humano

Por Ana Campos

Fonte: Imperatriz Notícias


Nota do Olhar Animal: Muitos medicamentos de uso humano podem ser usados em animais, pois contém a mesma formulação que suas versões veterinárias, mas são muito mais baratos, a diferença de preços chega a ser escandalosa. Claro, sempre lembrando que a medicação alopática em boa parte é destinada a tornar as doenças crônicas e não a curá-las. De qualquer forma, o uso destes medicamento JAMAIS deve ser feito SEM A PRESCRIÇÃO de um médico veterinário. Não economize evitando uma consulta ao veterinário de confiança. Em algumas cidades (ainda poucas) há também a possibilidade de recorrer ao serviço público.

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.