‘Vatapá vegano’ ajuda a controlar o colesterol e prevenir câncer, no AP

Dona de restaurante e SPA, Ana Pires ensina a fazer receita natural. Camarão é substituído por cogumelo shimeji fresco, azeitona ou palmito.

846
‘Vatapá vegano’ ajuda a controlar o colesterol e prevenir câncer, no AP
Vatapá vegano ajuda a combater colesterol alto e previce câncer (Fotos: Fabiana Figueiredo/G1)

Prato tradicional na mesa dos amapaenses, o vatapá tem como ingrediente principal o camarão. Mas, para quem não come alimentos de origem animal, a amapaense Ana Pires, de 46 anos, sugere o “vatapá vegano”. No lugar do camarão, ela usa o cogumelo shimeji fresco, e garante que o sabor é parecido.

Ana Pires produz vatapá vegano em Macapá

“A ideia era remeter ao sabor do vatapá de camarão. Fizemos várias receitas que deram certo, mas o que mais se destacou foi o shimeji, que remete a esse sabor. Mas, ele tem que ser usado fresco, o que vem em conserva não fica parecido. Se usa o mesmo material do vatapá tradicional”, ensinou Ana.

Além do cogumelo shimeji, o camarão também pode ser substituído por azeitona ou palmito. Ana é especializada em medicina natural e acredita que as pessoas doentes podem se curar através da alimentação. Segundo ela, os benefícios do vatapá vegano são o controle do colesterol e a prevenção do câncer.

“O camarão é um alimento que aumenta muito o colesterol. Nesse vatapá, o colesterol não aumenta tanto, porque também se evita fritar. O dendê é rico em vitamina A. E, como colocamos bastante verdura, como o pimentão vermelho, se torna bastante nutritivo e os ingredientes vermelhos também ajudam na prevenção do câncer”, explicou.

Shimeji é o ingrediente principal do vatapá vegano,
mas pode ser substituído por palmito ou azeitona
(Foto: Reprodução/TV Diário)

Veganismo

Optando por consumir alimentos sem origem animal há 25 anos, Ana Pires é natural da aldeia indígena Kumarumã, de Oiapoque, a 590 quilômetros de Macapá. Ela sempre conviveu com a medicina e a alimentação natural e, por ser pesquisadora do assunto, voltou ao Amapá, após 15 anos de estudos em Curitiba, para difundir o veganismo, sendo dona de um restaurante e SPA.

“A carne é altamente cancerígena e, infelizmente, leite e ovos possuem uma quantidade muito grande de hormônios. Com isso, vem se debilitando a saúde do ser humano. A vantagem da alimentação vegana é que a pessoa não fica suscetível a essas doenças. O veganismo é uma opção para quem quer ter saúde, porque cuida das pessoas através da alimentação”, falou Ana.

Ingredientes do vatapá vegano são parecidos com o do tradicional

Aprenda como preparar o “vatapá vegano”:
Rendimento: 10 pessoas
Tempo de preparo: 30 minutos

Ingredientes

300 gramas de cogumelos shimeji
1/2 garrafa pequena de azeite de dendê
1 garrafa grande de leite de coco
1 cebola média picada
4 dentes de alho picados
2 tomates em cubos
1 lata de milho
1 pimentão vermelho em cubos
1 xícara de salsinha, cebolinha e coentro picados
5 pimentas biquinho picadas
7 cogumelos champignon em tiras
6 azeitonas verdes picadas
2 colheres de azeite de oliva extra virgem
1 xícara de espinafre e manjericão ou jambu
3 xícaras de trigo
Água filtrada à vontade
Sal rosa a gosto

Modo de preparo
– Em uma panela, refogar os cogumelos, a cebola, o alho, tomates, milho, pimentão, salsinha, cebolinha e coentro, pimentinhas e azeitonas sem nenhum óleo;

– Misturar – pode ser no liquidificador – o trigo e a água;

– Na panela onde foram refogados os temperos, misturar o azeite de dendê e o leite de coco, com a mistura do trigo, no fogo baixo, até ficar na consistência de vatapá, por cerca de 20 minutos ou até que fique na textura que preferir. Para finalizar, misturar sal rosa, azeite, espinafre e manjericão ou jambu.

Dicas: os cogumelos shimeji devem ser frescos para dar o sabor de camarão. O vatapá deve ficar fino, de preferência, porque, ao esfriar, ele engrossa.

Vatapá vegano tem cogumelo como ingrediente principal

Por Fabiana Figueiredo

Fonte: G1


Nota do Olhar Animal: Os principais beneficiados pela alimentação vegana são os animais que você deixa de matar (ou de financiar a matança), todos seres sencientes, capazes de sofrer e saber do que lhes ocorre. Todos com interesses próprios, entre os quais o principal: o interesse em viver.

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.