Vereadores analisam projetos de 'banco de ração' e 'guarda responsável' em Umuarama, PR

Vereadores analisam projetos de ‘banco de ração’ e ‘guarda responsável’ em Umuarama, PR

Um pedido de vista por três dias tirou da discussão nesta semana na Câmara de Vereadores dois projetos ligados à proteção de animais em Umuarama. Os textos entraram em pauta na sessão ordinária da segunda-feira (8) e voltarão a ser discutidos na próxima sessão, que acontecerá na segunda-feira (15).

As proposições, de autoria da vereadora Ana Novaes, pretendem criar um banco de armazenamento de ração que seria produzida pelo próprio município, além de estimular e promover campanhas de conscientização, com objetivo de proteger os animais.

De acordo com a vereadora, a intenção era criar um código de defesa animal. “Como não conseguimos elaborar um código, vamos elaborando leis ligadas à proteção e ao bem-estar dos animais”, comenta.

Banco de ração

Um dos projetos institui o Programa Banco de Ração de Umuarama. O objetivo é captar doações de ração e promover sua distribuição. Existe a ideia também de firmar parceria com a UEM (Universidade Estadual de Maringá – Campus Umuarama) e usar uma máquina da universidade que produz a ração.

Tudo será doado para entidades e organizações previamente cadastradas e para famílias carentes que possuam animais domésticos.

O município organizará e dará toda a estrutura para o Banco de Ração, fornecendo o apoio administrativo, técnico e operacional, determinando os critérios de coleta, de distribuição, da fiscalização a ser exercida, bem como o credenciamento e o acompanhamento das entidades e famílias beneficiárias. Será proibida a comercialização dos donativos.

Guarda Responsável

Outro projeto pretende promover campanhas de conscientização referentes à proteção e ao bem-estar animal. Mostrando a importância da higiene individual do animal e do seu ambiente de convívio, com remoção diária dos dejetos, controle de parasitose, circulação de ar, acesso ao sol e área coberta protegido de intemperes climáticas, garantindo-lhes comodidade e segurança.

Lembrar que o dono deve oferecer alimentação de boa qualidade e administrada em quantidade compatível com as necessidades da espécie, observando sua fase de evolução.

Manter o animal vacinado contra raiva e demais zoonoses e revacinar dentro dos prazos recomendados por médico-veterinários, recolher as fezes de seus animais nas vias públicas, além de identificá-los com placas ou chips e providenciar assistência médica veterinária.

O projeto também pretende proibir a condução de cães em vias públicas sem o uso de coleiras, peitorais e guias, bem como focinheiras de proteção para aqueles animais de raças consideradas mais agressivas.

Ana espera que a lei de proteção aos animais que combate e pune maus-tratos, já aprovada, seja sancionada pelo prefeito. “Além da lei que pune maus-tratos, agora vamos elaborar novas leis, prevendo melhorar a qualidade de vida da população animal e criando responsabilidades aos donos”, encerra.

Fonte: O Bem Dito

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.