Veterinários buscam por animais feridos em incêndio na Chapada dos Veadeiros

Por enquanto, brigadistas encontraram apenas uma arara machucada. Chamas já destruíram mais de 64 mil hectares da unidade de conservação.

530
Incêndio na Chapada dos Veadeiros (Foto: Vitor Santana/G1)
Incêndio na Chapada dos Veadeiros (Foto: Vitor Santana/G1)

Veterinários voluntários de Minas Gerais viajaram até o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, no noroeste goiano, para resgatar animais feridos por causa do incêndio que atinge a unidade, considerada Patrimônio Natural da Humanidade. Nesta quinta-feira (26), uma arara foi encontrada por brigadistas.

“Essa aqui é uma sobrevivente, uma arara de muita sorte”, comemora o veterinário Márcio Bicalho Sobrino.

Os veterinários vasculham até mesmo ninhos de pássaros.

“É muito comum a gente encontrar filhotes, ovos ou animais queimados. Qualquer lugar pode ter uma vida precisando de ajuda. Qualquer lugar, qualquer buraco, qualquer barranco”, disse a veterinária Carla Sássi.

Falta de alimentos

O coordenador de prevenção e combate a incêndio do Instituo Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Christian Berlinck, explicou que apenas a arara foi encontrada ferida. Ele ressaltou que a queimada pode causar impactos diretos e indiretos na fauna.
“O impacto direto seria a morte pelo fogo, o que não está acontecendo. Não encontramos animais mortos nas áreas atingidas. O indireto seria o fato dos animais ficarem sem casa e alimento. Com isso, podem ir para as rodovias, ou entrarem em fazendas e acabarem caçados”, explicou.

De acordo com os veterinários, os animais que viviam na região vão enfrentar um período chamado de “fome cinzenta” devido à falta de alimentos.

“Não tem fonte nenhuma de água aqui no momento e muito menos de alimentação. Então, eles vão migrar para outro lugar ou até mesmo para cidade”, explicou o veterinário Dreison Ferreira Guimarães.

Força-tarefa

O primeiro incêndio na Chapada dos Veadeiros começou no dia 10 de outubro e foi controlado no dia 16. No dia seguinte, novos focos surgiram e, há mais de 10 dias brigadistas e voluntários tentam combater o fogo. A Polícia Civil investiga a suspeita de que o incêndio seja criminoso.

Cerca de 200 brigadistas e bombeiros tentam controlar a queimada, mas alguns dizem que têm até dificuldade de encontrar água dentro do parque para recarregar os reservatórios. A Força Aérea Brasileira também cedeu um avião Hércules para ajudar no trabalho, despejando água sobre os focos de incêndio. Outros aviões também são usados diariamente. Até agora, mais de 1 milhão de litros foram usados.

As prefeituras de Alto Paraíso e Cavalcante, no noroeste goiano, decretaram na segunda-feira situação de emergência por conta do agravamento do incêndio que atinge o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros.

Incêndio na Chapada dos Veadeiros (Foto: Betta Jaworski/G1)
Incêndio na Chapada dos Veadeiros (Foto: Betta Jaworski/G1)

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.