Veterinários na Estrada prepara nova expedição para a Ilha dos Gatos, no RJ

No final de 2016 dei uma palestra sobre CED no Dia Mundial do Animal, festa bem bacana produzida anualmente pela Luli Sarraf.

Prestei muita atenção em uma palestrante que participava do evento. Adorei o relato detalhado de sua experiência de campo com animais necessitados do Brasil todo. Sua visão da medicina veterinária me chamou atenção. O trabalho dela surpreendeu muito.

Fui ao seu encontro e naquela tarde de domingo recebi um convite para uma aventura: participar de uma expedição do Veterinários na Estrada. O objetivo? Controlar de maneira ética os gatos asselvajados da Ilha dos Gatos, em Mangaratiba, no litoral do Rio de Janeiro.

Próximo da data do início da expedição, que deve chegar à ilha no dia 30 desse mês, tenho a alegria de entrevistar a Dra. Amélia Oliveira.

Eduardo Pedroso: O lema do Veterinários na Estrada é Nós vamos onde ninguém vai. Quando e por que surgiu essa escolha?

Amélia Oliveira: Começou em 2008 quando eu fui convidada pela ONG Vira Lata é 10 para fazer um mutirão de castração em São Tomé das Letras (MG). Chegando na cidade constatei que no local não havia nenhum veterinário. Fiquei inconformada. Como assim não tinha médico veterinário na cidade? Também à época tinha acabado de adquirir um jipe Land Rover e senti que havia a possibilidade de levar a medicina veterinária para todos os cantos do Brasil.

Excelente ideia, unir o espírito de aventura com trabalho social. Consciência ambiental com pé na estrada.

Eu tive um sério problema no mesmo ano, quase morri, então eu achei que minha vida devia ter outro sentido além de ficar entre quatro paredes clinicando. Apesar de saber a importância disso também.

Acho que você descobriu algo.

Eu descobri que lá fora tinha bicho precisando de ajuda.

Muito nobre e emocionante.

Resolvi levar a medicina veterinária onde ninguém chega, fazer o que ninguém faz. Construir a ideia de que a Medicina do Coletivo deve ser acessível para todos em qualquer lugar.

E a história do Veterinários na Estrada com a Ilha dos Gatos?

É a quarta vez que o projeto vai até a ilha. Isso começou comigo e com a Dra. Carla Sássi, que respondia a uma solicitação do Ministério Público para controlar a população de gatos que estava predando em excesso a fauna da ilha.

Um assunto cada vez mais abordado e que merece muita atenção. O gato é fauna introduzida e pode afetar negativamente o ecossistema.

Sim. E também os gatos são atacados por outros predadores, como lagartos e cobras. É preciso controlar, esterilizar para que no futuro não nasçam mais gatos na ilha.

E como o público em geral pode ajudar nessa intervenção que pretende reduzir o impacto de uma espécie sobre a ilha?

Temos os custos das cirurgias e os insumos da equipe. Serão três veterinários trabalhando, uma equipe de filmagem, uma zootecnista, você coordenando as capturas e o barqueiro que fará todo o transporte. Por isso lançamos uma campanha de captação de recursos. É só clicar e ajudar.

https://www.kickante.com.br/campanhas/ilha-dos-gatos-em-mangaratiba-pede-socorro

Boa sorte Dra. Amélia.

Boa sorte para você também!

Por Eduardo Pedroso

Fonte: Olhar Animal

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.