Vídeo mostra policial militar arrastando burro amarrado a carro em Goiânia, GO

Vídeo mostra policial militar arrastando burro amarrado a carro em Goiânia.

2141
Flagrante mostra animal arrastado, em Goiânia (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
Flagrante mostra animal arrastado, em Goiânia (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

A Polícia Civil investiga um vídeo que mostra um policial militar de 54 anos arrastando um burro amarrado a um carro, em Goiânia. Na gravação, o homem aparece dando arranques no veículo, puxando o animal com violência. De acordo com a corporação, o suspeito negou que teve a intenção de machucar o animal.

Contra o Meio Ambiente (Dema), o homem alegou que estava aplicando remédio no animal, que ficou agitado e deu um coice na cabeça ele. Por conta disto, o policial contou que amarrou o bicho no veículo para levá-lo até uma árvore, onde, segundo ele, o amarraria.

“Esta imagem demonstra esta crueldade, retrata uma prática de abuso, de maus-tratos, pondo-se em risco a saúde do animal. O policial militar disse que isto aconteceu porque o animal estava agressivo e tinha dado um coice, e por conta disso levaria ele pra ser amarrado num pé de pequi”.

“Mas o vídeo, por si só, revela a situação de maus-tratos. Foi uma reação desproporcional o que ele fez, ele levou o coice porque foi descuidado”, disse o delegado ao G1.

O vídeo chegou à polícia na última sexta-feira (6). Segundo o delegado, o homem foi identificado como um policial militar e foi intimado de imediato. A Polícia Técnico-Científica, além de veterinários da Agência Municipal do Meio Ambiente (Amma) foram até o local e, conforme a corporação, colheram informações que serão reunidas em um laudo, que deve ser divulgado ainda nesta quarta-feira.

O assessor de comunicação da PM, o tenente-coronel Marcelo Granja informou ao G1 que a corporação está apurando a situação.

O delegado afirmou ao G1 que o policial tinha ainda outros dois animais. Ele afirma que, preliminarmente, notou que todos os bichos estão bem cuidados e alimentados, mas que isso não tira a responsabilidade do tutor de cuidar, sem a prática da violência.

“Vamos supor que estes laudos não apontem nenhum dano. Só com esse vídeo a gente já constata que houve o crime, houve os maus-tratos, e a situação deve ser encaminhada para o Poder Judiciário”, afirmou o delegado.

Conforme ele, o homem deve responder por maus-tratos a animais. A pena é de até um ano de detenção, multa de até R$ 3 mil, além de aplicação de medidas alternativas.

“Todos os animais são protegidos. Quando se proíbe esta crueldade contra os animais, na verdade estamos protegendo a saúde psíquica do próprio ser humano. Todo mundo fica indignado com esta atitude”, concluiu.

Por Murillo Velasco

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.