Vídeo mostra resgate de cavalo que caiu em buraco durante chuva em Teresina, PI

Calçamento cedeu quando um cavalo passou pelo local. População e bombeiros trabalharam juntos por cerca de quatro horas para fazer o resgate.

307
Cavalo foi resgatado após quatro horas de trabalho (Foto: Divulgação/Associação de Moradores do Bairro Santa Fé)
Cavalo foi resgatado após quatro horas de trabalho (Foto: Divulgação/Associação de Moradores do Bairro Santa Fé)

Uma rua do residencial Santa Fé, na Zona Sul de Teresina, cedeu com o peso de um cavalo durante o início da noite de sexta-feira (2). O animal ficou dentro do buraco que se abriu e não conseguiu sair sozinho. Os bombeiros e a população trabalharam por mais de quatro horas para conseguir resgatá-lo. O buraco, que aumenta de tamanho a cada chuva, continua a preocupar os moradores do residencial.

VÍDEO: Cavalo cai em buraco do residencial Santa Fé, na Zona Sul de Teresina

De acordo com Iratã de Araújo, da associação de moradores do residencial Santa Fé, o buraco abriu quando o cavalo passou por cima do local, por volta de 17h de sexta. O corpo do animal ficou inteiro dentro do buraco, que não conseguiu sair, e os moradores começaram a tentativa de resgate usando cordas.

Dezenas de pessoas acompanharam o salvamento do cavalo. Uma equipe do Corpo de Bombeiros chegou ao local por volta das 19h, e o resgate do cavalo terminou às 21h, debaixo de muita chuva. O animal foi retirado do buraco após ser puxado por bombeiros e moradores. Do lado de fora, o cavalo conseguiu se levantar e caminhar sob os aplausos da população.

O buraco que ficou do acidente, na rua Maria de Araújo, preocupa os moradores do residencial Santa Fé. Segundo Iratã, a cratera tem aumentado em cada chuva, e a população teme que ele alcance o terreno das casas. “A tendência dele é crescer e ameaçar as casas da frente, ou de a água cobrir e alguém cair dentro”, disse.

Os moradores temem também que outras ruas do bairro venham a ceder como aconteceu na rua Maria de Araújo. O local onde o chão afundou, segundo Iratã Araújo, não dava sinais da fragilidade. “O chão estava como se tivesse cavando por baixo, e quando o cavalo passou o calçamento cedeu”, disse o membro da associação de moradores.

Por Andrê Nascimento

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.