Vítima de maus-tratos, cadela resgatada com corte profundo no pescoço precisa de um lar

A cadelinha, batizada de "Pedrita" foi encontrada com graves ferimentos na manhã do último sábado (10), no bairro André Carloni, na Serra.

390
Vítima de maus-tratos, cadela resgatada com corte profundo no pescoço precisa de um lar

Uma cadelinha ainda filhote foi encontrada abandonada e com graves ferimentos na manhã do último sábado (10), no bairro André Carloni, na Serra, ES. O turismólogo Gelcimar Caldas, de 57 anos, resgatou o animal e levou até veterinários. A cadela, batizada de “Pedrita” está bem, mas agora precisa de um lar.

Segundo o turismólogo, “Pedrita” estava dentro de uma caixa quando foi encontrada. “Eu caminhava pela manhã com meu cachorro quando ele se aproximou da caixa e ficou cheirando. A cadelinha começou a gritar e quando saiu da caixa, percebi que ela estava ferida com um corte profundo no pescoço. Imediatamente entrei em contato com uma amiga que ajudou no resgate e pagou o atendimento veterinário”, diz.

Gelcimar conta que após receber alta do veterinário, ainda no sábado, “Pedrita” ainda tinha a ferida muito aberta. “Compramos medicamentos e minha filha fez curativos, mas a ferida parecia ter bichos ainda. Com isso, levamos a cadela em um outro veterinário neste domingo (11). Fomos visitar ela nesta segunda (12). ‘Pedrita’ segue internada com doença do carrapato, mas está fora de perigo”, ressalta.

Sem condições de continuar com a cadela e bancando os tratamentos, Gelcimar faz um apelo. “Nesta terça-feira (13), às 21h, ela recebe alta. Mas preciso que alguém se sensibilize e consiga um novo lar para ‘Pedrita’. Estamos em uma situação de bancar o tratamento, que não é barato, sem condições de gastar o que já gastamos. Mas pelo amor que temos no coração, ajudamos esse pequeno animal”, fala o turismólogo.

A cadelinha segue internada em uma clínica veterinária da Serra e recebe alta nesta terça-feira (13), às 21h. Gelcimar pede para que interessados em adotar ou ajudar o animal entrem em contato, através do números: (27) 3338-3444 ou (27) 99993-1658.

Por Breno Ribeiro

Fonte: Folha Vitória

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.