Vizinho denuncia abandono de cerca de 100 cachorros em Camaragibe, PE; animais estão comendo uns aos outros

Vizinho denuncia abandono de cerca de 100 cachorros em Camaragibe, PE; animais estão comendo uns aos outros

Um caso de maus-tratos aos animais tem mobilizado moradores de Aldeia, em Camaragibe, Região Metropolitana do Recife (RMR). Cerca de 100 cachorros, de acordo com vizinhos, estão confinados no quintal de uma residência e parte deles vive permanentemente presos. Como são mantidos sem cuidados nem alimentação adequada, os cães já chegaram a praticar canibalismo. Outros foram separados por terem se tonado naturalmente agressivos.

“Essa casa não é canil. Os animais foram recolhidos por uma pessoa que diz gostar deles, raramente aparece aqui”, explicou Carlos Carneiro, vizinho do local onde os cães são mantidos. Ele relata que é comum os animais de maior porte atacarem os menores. “Há alguns dias, alguns deles devoraram um dos cachorros”, afirmou. As cenas chocantes de canibalismo foram gravadas pelos vizinhos em vídeo. Mesmo depois desse episódio, os filhotes e adultos continuam a compartilhar o mesmo ambiente. De acordo com um caseiro que presta serviços na residência, se tornou comum os cachorros se devorarem após as diversas brigas.

Segundo o secretário de Meio Ambiente de Camaragibe, somente neste ano foram identificados 17 casos de pessoas que acumulam animais e passam a semana inteira fora de casa, deixando os bichos sem os devidos cuidados. Maus-tratos aos animais, como abandonar, espancar, manter preso, privar de diversos cuidados, entre outros, é considerado crime. Para quem mora em Camaragibe a denúncia desses casos podem ser feitos pelo telefone 3458.0723.

O proprietário do local e tutor dos animais, o engenheiro e servidor público Roberto Nunes, emitiu nota de esclarecimento afirmando que atua na proteção animal desde 2005 e que mantém o abrigo particular com recursos próprios. Ele ressalta que atualmente assiste 50 cachorros, e garante que todos são bem cuidados. Confira a nota na íntegra.

“Venho atuando na proteção animal desde 2005, resgatando animais de rua, tratando suas enfermidades, castrando-os s e conseguindo adoção. Mantenho um ABRIGO PARTICULAR com mais de 50 cães, com recursos próprios. Vale salientar que não recebo ajuda de espécie alguma, nem de pessoas nem de órgãos governamentais. Atualmente tenho uma despesa de R$3.500 de ração, aluguel de imóvel (R$2.400), salário de funcionário (R$1.400), energia elétrica (R$700), sem falar em medicamentos, curativos, procedimentos cirúrgicos e gastos extras. Todos os animais são muito bem alimentados, ficando fortes e saudáveis. Aqueles que ainda estão em tratamento pode se apresentar magro, porém, não pela falta de comida nem atenção, mas sim porque está em fase de recuperação de saúde. Os animais do abrigo são retirados das ruas com as mais diversas enfermidades. Alguns chegam magros desnutridos, outros com problemas de pele (sarna, fungos), alguns são submetidos a cirurgias e algumas cadelas resgatadas buchudas. Vale salientar que ABRIGO não é CANIL. Abrigo é um local onde animais ficam provisoriamente até conseguir adoção, enquanto que canil é uma EMPRESA que se propõe a procriação e venda de animais. Todos os animais do meu ABRIGO estão disponíveis para adoção, sem quaisquer custos para o adotante.”

Ele ainda ressalta que a denúncia foi feita porque os vizinhos se incomodam com o latido dos cachorros. Sobre o caso dos animais que comeram outro, ele afirma que um cão bravo se soltou e matou outro. Ele diz que, instintivamente, os outros animais participaram do ataque, e que tudo aconteceu na ausência do caseiro.

“Sobre a denúncia de um dos meus vizinhos, trata-se de um senhor incomodado com o latido dos cães, que resolveu fazer pressão para que o abrigo saia daquela propriedade. A maneira que o vizinho encontrou pra essa mudança foi através de calúnias através dos mais diversos tipos de mídia, visto que o mesmo é radialista e usa sua influência para que a calúnia se propague. No início do mês de setembro, houve um acidente no meu abrigo. Um cão bravo, que se encontrava preso, soltou-se e atacou e matou outro cão. Devido ao instinto de matilha, outros cães participaram do ataque, que ocorreu no momento em que o caseiro se ausentou para levar o lixo ao local de coleta. Ouvindo o barulho dos animais, o vizinho filmou sobre o muro, a cena em que o corpo do cão (já morto) é atacado pelos demais. Maldosamente, o vizinho veiculou nas redes sociais que um cão fora devorado pelos demais devido à fome. E ainda AUMENTOU, afirmando que é a terceira vez que um cão é devorado nessa propriedade. É mentira que há maus tratos, mentira que as animais passam fome, mentira que houve mais de um episódio de ataque de cão. Desentendimento entre vizinhos deveriam ser resolvidos de maneira civilizada, e não denegrindo a imagem de um cidadão de bem, que ama os animais e faz o papel do governo, retirando cães abandonados nas ruas.”

Fonte: OP9

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.