Você sabia que os fogos de artifício estão proibidos em Nova Friburgo, RJ?

O Réveillon está chegando e a virada costuma contar com os tradicionais fogos de artifício, que, além de espalharem luzes coloridas no céu, causam estrondos. Mas em Nova Friburgo, essa hábito chegou ao fim. Nesta quinta-feira, 27 de dezembro, o prefeito Renato Bravo assinou a regulamentação da lei nº 4.561/2017, que proíbe os fogos que causam poluição sonora, de autoria do vereador Janio de Carvalho (DC), de junho de 2017. A proibição estende-se a todo o município, incluindo locais fechados e ambientes abertos, em áreas públicas e locais privados.

Além dessa lei, também há o Decreto nº 329, de 3 de dezembro de 2018, que proíbe a queima e a soltura de fogos de artifício e artefatos pirotécnicos que produzam poluição sonora. De acordo com o Decreto, a multa para quem soltar esse tipo de fogos pode variar entre R$ 50 a R$ 1000, de acordo com a reincidência. Desse modo, de acordo com a prefeitura, assim como no ano passado, não haverá queima de fogos na virada do ano na cidade.

Segundo o vereador Janio de Carvalho, a lei em Friburgo surgiu principalmente em defesa dos animais.

“O maior réveillon do ano é em Paris e só são permitidos os fogos estampidos sem barulho. Essa lei surgiu em Friburgo principalmente em resposta às reivindicações em defesa dos animais. Com os fogos, os cães ficam loucos, desaparecem, muitos animais são atropelados. Os pássaros fogem. Além disso, o barulho também é nocivo a quem está internado nos hospitais, maternidades e a quem usa aparelho auditivo, que, com os estrondos, tem a sensação de que a cabeça vai explodir”, explica.

Silmara Kappel, lojista que cuida de cerca dez cães de rua que passam por sua loja no Centro, diz concordar com a lei: “quero muito que esses fogos acabem, pois os cachorros ficam desesperados. O Dante, que mora aqui na loja, corre até para debaixo dos carros de tanto medo”, diz. Além de Nova Friburgo, nas cidades de São Paulo e Bauru também é proibida a soltura de fogos que causam barulho. “As pessoas podem querer extravasar felicidade, mas não podem colocar em risco a vida dos animais e a saúde de outras pessoas”, finaliza.

Cães e gatos

Os que mais se incomodam e sofrem com os fogos barulhentos são os cães e gatos, que têm a audição aguçada – escutam cinco vezes mais que os humanos. De acordo com o médico veterinário Elias Emmerick, o barulho os deixa estressados e, em alguns casos, pode até causar convulsões e desmaios. E, se o animal já tiver problemas cardíacos, pode até chegar a óbito.

Os que mais sofrem com o barulho dos fogos de artifício são os animaisOs que mais sofrem com o barulho dos fogos de artifício são os animais | Foto: Banco de Imagem
Os que mais sofrem com o barulho dos fogos de artifício são os animaisOs que mais sofrem com o barulho dos fogos de artifício são os animais | Foto: Banco de Imagem

“Já peguei casos em que o dono do animal prendeu o cachorro na corrente e, por ter se agitado muito, morreu enforcado. Para evitar problemas durante os fogos, sugiro que o dono coloque algodão no ouvido e reserve um cômodo fechado, com uma música ambiente, para o animal ficar mais tranquilo”, orienta.

Origem dos fogos

O surgimento dos fogos remonta há milhares de anos na China, onde eram usados bambus e fogueiras para preparar os primeiros fogos da humanidade. Estes passaram a ser usados em eventos comemorativos e também com o intuito de afastar maus espíritos. Com avanços da química , foram descobertos diversos efeitos visuais para os fogos de artifício sem barulho.

Por Sara Schuabb

Fonte: Multiplix

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.