Voluntários fazem campanha para custear tratamento de cadela espancada por dono de ferro-velho

244

Cadela de rua que foi espancada por dono de ferro velho na última sexta-feira (24), ainda apresenta quadro grave de saúde e está recebendo tratamento em clínica veterinária. Uma ação movida por voluntários, que atuam em defesa de animais, buscou a cadela no bairro Ribeirão do Lipa, em Cuiabá, MT. Ela recebeu o nome de Lilica e foi encaminhada para tratamento. Na tarde de sábado o quadro era bastante grave. Vomitando sangue e com forte diarreia o animal apresentava indícios de problemas neurológicos.

Durante o final de semana ela foi hidratada e recebeu medicação para uma possível hemorragia interna. Segundo o médico veterinário André Rezende, a suspeita é de que o quadro seja resultado de uma lesão renal, indicando a necessidade de manter a internação com a medicação.

Para isso os voluntários estão lançando uma campanha de arrecadação para custear o tratamento de Lilica.

O crime – Lilica foi salva da morte por uma vizinha do morador Jodmilson Silva Louzada, dono de um ferro velho. Ele espancava violentamente o animal que gritava desesperado. A moradora o enfrentou e chamou a Polícia Militar, por volta das 15h.

Quando os policiais constatarem a situação da cadela, o agressor foi preso por maus-tratos a animais. Na Central de Flagrantes assinou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), para ser ouvido no Juizado Criminal e foi liberado.

No sábado o clima era de revolta no bairro. Principalmente para a moradora Mercedes Louzada, 77, que tentava ajudar o animalzinho. Ela a chama de “Malhadinha” e ela é apenas um dos cães que param na porta de dona Mercedes para ganhar comida e água.
Apesar de não ter condições financeiras, ela é conhecida por acolher os animais abandonados e muitos são deixados doentes à porta dela. Segundo dona Mercedes, os cães acabam indo até o ferro velho do agressor, que não é murado, para se esconderem da chuva e do sol, debaixo das sucatas de veículos. Ele já tem histórico de maus tratos na região o que causou ainda mais revolta aos vizinhos.

As pessoas que quiserem ajudar no tratamento da Lilica podem falar com Silvana, pelo Whatsapp (65) 98134-0603, ou Eveline no (65) 99952-2838 para obter o número da conta bancária para depósitos.

Por Silvana Ribas

Fonte: Folhamax

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.