Zoológico sueco admite que matou nove crias de leão (Foto: Dr / Boras Zoo)

Zoológico sueco admite que matou nove crias de leão

O Jardim Zoológico de Borås, no sul da Suécia, matou as crias porque não houve oportunidade para serem vendidas ou transferidas e face à “elevada agressividade” que a sua presença gerava no grupo de leões, explicou Bo Kjellson, responsável do zoo.

Bo Kjellson acrescentou que estes animais ficam em risco de vida se não são retirados do grupo quando não conseguem integrar-se entre os restantes elementos.

A decisão começou a ser debatida em 2012. “Creio que foram mortos dois anos depois”, disse o responsável do zoo à cadeia de televisão sueca SVT.

“Nessa altura já tínhamos tentado vendê-los ou transferi-los para outros zoos mas, infelizmente, não havia nenhum que os pudesse receber”, sublinhou. “Quando a agressividade se tornou muito grande no grupo tivemos de retirar alguns animais”, acrescentou.

Segundo o jornal “Expressen”, os leões em causa chamavam-se Potter, Weasley, Simba, Rafiki, Nala, Sarabi, Kiara, Kovu e Banzai.

Simba, Rafiki, Nala e Sarabi nasceram na primavera de 2012 e foram mortos no outono de 2013.

Kiara, Kovu e Banzai nasceram na primavera de 2014 e foram mortos no verão e outono de 2015.

Em 2016, nasceram quatro leões – Potter e Weasley foram mortos e Granger e Dolores foram enviados para outro zoológico no Reino Unido.

O Jardim Zoológico de Borås foi fundado em 1962 e tem cerca de 500 animais de 80 espécies diferentes.

Fonte: Jornal de Notícias / mantida a grafia lusitana original

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *