11.000 querem que fundos públicos para touradas sejam destinados a setores da cultura e da saúde afetados pela Covid-19

11.000 querem que fundos públicos para touradas sejam destinados a setores da cultura e da saúde afetados pela Covid-19
Petições de ONGs dos direitos dos animais pedem que se realoquem recursos para eventos culturais dos quais todos desfrutem, em vez de “apenas uma minoria sem empatia ou compaixão”.

Uma ONG internacional dos direitos dos animais reuniu mais de 11.000 assinaturas em uma petição solicitando que as autoridades espanholas canalizem subsídios para atividades envolvendo touros para outras áreas da cultura afetadas pelas restrições ao coronavírus — que confinam as pessoas em suas casas — assim como para o setor de saúde pública.

Com o cancelamento das corridas de touros e touradas na Espanha por conta da crise da saúde, a AnimaNaturalis está pedindo às autoridades que dediquem os fundos à uma “cultura que todos os espanhóis compartilhem, em vez de apenas uma minoria sem empatia ou compaixão”.

Mais de 200 eventos de corridas de touros foram cancelados na Espanha devido à crise do coronavírus, diz a ANOET, a associação que representa o setor. Se forem incluídos festivais envolvendo touros, esse número sobe para 1.684 — quase 10% dos eventos da temporada.

A AnimaNaturalis começou a coletar assinaturas em seu site há 10 dias, argumentando que eventos envolvendo touros recebem milhões de euros de dinheiro público todos os anos. Ela calcula que, só na Catalunha, cerca de 30 autoridades locais forneçam um milhão de euros para esses eventos.

“O dinheiro público não deve ser usado para promover e pagar por espetáculos baseados em abuso e maus-tratos a animais, e menos ainda nos próximos meses, quando todos os esforços e o apoio público precisarão ser dedicados a recursos médicos e maneiras de mitigar o impacto econômico nas famílias, trabalhadores independentes e empresas “, disse a chefe da ONG, Aïda Gascón.

Eventos com touros na Catalunha

O Parlamento proibiu as touradas na Catalunha em 2010, mas a proibição não afeta a tradição do ‘correbous’ (corridas de touros pelas ruas), uma vez que nelas os touros não são mortos. Embora o Tribunal Constitucional da Espanha tenha anulado a proibição em 2016, não houve touradas na Catalunha desde então por diversas razões sociais, políticas e econômicas.

Um incidente na cidade de Vidreres, no norte do país, no verão passado, no qual um touro escapou de seu curral e ficou irritado com o público, reacendeu a discussão sobre eventos relacionados a touros na Catalunha, com o parlamento propondo a proibição de todos esses eventos e grupos de direitos dos animais fazendo campanha contra eles em janeiro.

Tradução de Alda Lima

Fonte: Catalan News