A Comissão Europeia pretende proibir inseticidas agrícolas para salvar as abelhas

A Comissão Europeia pretende proibir inseticidas agrícolas para salvar as abelhas
Abelha polinizando uma flor.

Com o intuito de salvar as abelhas da extinção, a Comissão Europeia decidiu proibir três pesticidas agrícolas. O projeto regulamentar vai atingir produtos comercializados pelas gigantes indústrias químicas Bayer e Syngenta.

A Comissão cita em seu documento que os inseticidas neonicotinoides são altamente tóxicos e supõem uma “grave ameaça” para as abelhas e já foi comprovado que a ação polinizadora destes insetos é crucial para o ciclo vegetal da flora. Os neonicotinoides vêm sendo utilizados intensamente na indústria agrícola durante os últimos vinte anos.

Desde 2013, a União Europeia tem em vigor uma proibição temporária para estes agentes químicos que a nova regulação visa erradicar definitivamente, proibindo sua aplicação nos cultivos europeus. A proposta será passada para os estados membros para que seja votada em maio.

Em 2016 a Agência Europeia de Segurança Alimentar (EFSA) emitiu um relatório dos riscos no qual se havia levado em conta as evidências apresentadas pelas indústrias químicas. Entretanto, essas considerações não foram suficientes para enfrentar as ameaças que estes três produtos apresentam para a maioria dos cultivos, daí a criação do projeto de lei.

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação (FAO) calcula que mais de 70% dos 100 cultivos que proporcionam grande parte do alimento para humanos são polinizados pelas abelhas. A União Europeia vem constatando um “declínio anormal no número de abelhas silvestres e perda de colmeias”, especialmente na Europa ocidental.

O declínio das abelhas, de acordo com a EFSA, é devido a uma multiplicidade de fatores, como os ataques por vírus, por espécies exóticas de vespas ou besouros e também pela perda de seu habitat. Entre essas causas também se destaca “os efeitos da agricultura intensiva e o uso de pesticidas”, como os que a Comissão pretende proibir.

Tradução de Flavia Luchetti

Fonte: El Diario 


Nota do Olhar Animal: A preocupação passa longe do respeito pelos animais. A questão que causa temores às autoridades é o impacto da morte delas na agricultura. De qualquer forma, a medida poupará a vida de abelhas e de humanos, o que é positivo. Enquanto isso, o Brasil continua liderando o consumo mundial de pesticidas.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.