A crueldade por trás da extração da lã que você nem imagina

A crueldade por trás da extração da lã que você nem imagina

Existem várias comprovações de crueldade e violência relacionadas à extração da lã para atender à demanda da indústria têxtil.

É só colocar na pesquisa Google: “a crueldade na extração da lã” e aparecem vários conteúdos, desde vídeos até notícias sobre essa atividade terrível.

A cruel produtividade

O fato é que, devido à imensa demanda de consumo de produtos feitos com lã, os animais explorados para este fim são tratados como objetos e, para agravar a situação, os funcionários geralmente são remunerados de acordo com a produtividade de seus trabalhos, ou seja, eles fazem a extração da lã de forma acelerada, o que torna essa prática desumana e cruel para com os animais envolvidos.

Nesse contexto, esse trabalho mecânico e rápido visando produtividade e rapidez em detrimento do bem-estar do animal, leva ao embrutecimento dos funcionários e às várias formas de violência aos animais envolvidos no processo de tosquia.

Por exemplo:

  • cortes de partes do corpo como mamas, rabo e orelhas por conta do manuseio acelerado da máquina de tosquia elétrica
  • espancamento
  • chutes
  • diversos tipos de lesões nas peles dos animais
  • e até a matança das vítimas dessa prática

Uma investigação feita pela organização internacional PETA (Pessoas para o Tratamento Ético dos Animais) em mais de trinta empresas de extração de lã nos Estados Unidos e na Austrália, evidenciou barbaridades com as ovelhas por meio de vídeos que mostram os tosquiadores maltratando as ovelhas de diversas formas.

Para se ter uma ideia do tamanho da crueldade, um tosquiador foi flagrado batendo na cabeça de uma ovelha com um martelo, e outro foi pego torcendo e quebrando o pescoço de outra ovelha.

Por tudo isso, este conteúdo vem alertar sobre as terríveis consequências sofridas pelos animais envolvidos na indústria da lã. Estes animais sofrem desde confinamento, espancamento, doenças e até morte, tudo para atender à demanda industrial e o lucro comercial, do qual os animais não têm nenhum beneficio.

Um outro vídeo divulgado pela PETA em agosto de 2018, mostra ovelhas sendo espancadas durante a extração de lã no Reino Unido.

Investigações feitas em 25 galpões da indústria de lã-British Wool durante 15 dias, comprovam a violência sofrida pelos animais envolvidos em consequência dos socos, pisões e pontapés dados pelos funcionários nos animais, ao mesmo tempo em que brutalmente tosquiavam suas vítimas.

E a realidade da extração de lã pode ser ainda mais chocante. O vídeo abaixo mostra apenas uma parte da crueldade presente nessa atividade econômica.

Devido a esse contexto, a PETA solicitou à Sociedade Real Para a Prevenção da Crueldade Contra os Animais (RSPCA) para realizar mais investigações para identificar os envolvidos nessa barbárie.

Para quem suportar ver CENAS FORTES DE VIOLÊNCIA, segue o vídeo-campanha da organização PETA feito em 2016, apresentando o célebre ator e ativista dos direitos dos animais, Joaquin Phoenix relatando a realidade cruel da produção de lã animal.

Clique no vídeo para ver. É preciso declarar ser maior de idade.

Como não contribuir com essa barbaridade

A PETA vem constantemente alertando o consumidor sobre o que acontece por trás da extração da lã.

O consumidor pode fazer escolhas conscientes e se recusar a contribuir com crueldade animal. Existem muitas alternativas ao uso da lã de origem animal, uma delas é a lã vegana originária da planta do gênero Calotropis.

Isso prova que com criatividade e boa vontade, podemos mudar a realidade sofrida dos animais!

Por Deise Aur

Fonte: greenMe Brasil

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.