A piometra (ou infecção uterina) em cadelas e gatas

A piometra, ou infecção uterina, é uma afecção frequente, sendo uma das principais causas de morte precoce em cadelas e gatas. Primeiramente ocorre uma alteração no funcionamento dos ovários e em seguida um acúmulo de secreção no útero que causa sintomas de intoxicação e pode levar à falência renal.

A piometra geralmente ocorre durante ou após um cio, podendo ou não ser visto um corrimento vaginal amarelado ou avermelhado. As cadelas ou gatas terão prostração, dor abdominal, falta de apetite, beberão muita água e podem mostrar distensão abdominal. Se sua cadela ou gata apresentarem algum dos sinais acima, não se esqueça de informar ao veterinário se ela apresentou um cio nas últimas semanas, pois isto pode auxiliar em um diagnóstico mais rápido.

O diagnóstico pode ser clínico se o colo do útero estiver aberto, ou seja, se houver corrimento aparente. Quando não há secreção visível, um exame por ultra som confirma a suspeita, e o tratamento deve ser instituído o mais rápido possível, sendo considerado uma emergência.

O tratamento de escolha é cirúrgico com a retirada do útero infeccionado. Além disto, a paciente deverá receber antibióticos, analgésico e soro venoso para evitar complicações renais. O tratamento sem a retirada do útero não é uma opção segura, pois os antibióticos podem resolver momentaneamente o problema, que voltará no próximo cio com maiores chances de óbito e complicações renais.

Milhares de cadelas morrem anualmente em consequência da piometra, que é totalmente evitável com a castração precoce. Não há preferência por raça ou classe social, não depende dos cuidados do tutor nem do estado nutricional. Mesmo quando não há intenção de gravidez, ou não existe o risco de gravidez indesejada, a castração é fortemente recomendada. A cadela ou gata não necessitam passar por uma gravidez e amamentação para serem saudáveis e a castração antes do primeiro cio é uma prova de responsabilidade. Infelizmente ainda perdemos muitas vidas devido ao conceito que algumas pessoas têm de que a castração é indicada para populações de baixa renda no controle populacional e de zoonoses.

Em algumas localidades do país, castrações são oferecidas gratuitamente como mecanismo de controle populacional, mas na maior parte das vezes é o próprio tutor que se responsabiliza. Se você conhece alguém que ama seu companheiro não humano e não tem acesso a tratamento veterinário, ofereça uma castração solidária. O bem reverbera, independente de sexo, raça, cor, classe social e espécie.

Por Leonardo Maciel

Fonte: Olhar Animal

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.