A triste verdade sobre o tratamento dos animais em caminhões de abate – e um porco que escapou

A triste verdade sobre o tratamento dos animais em caminhões de abate – e um porco que escapou
Fotos: Hunter Gunn/Shutterstock

Imagine o dia de inverno mais gelado, com vento congelante e implacável batendo contra seu rosto – é natural que você queira procurar abrigo e se manter aquecido, uma simples necessidade que nem todos conseguem ter. Animais criados para consumo são transportados sob todas as condições climáticas, com pouca ou nenhuma proteção contra o frio ou calor extremos.

Durante o transporte, animais também são privados das necessidades mais básicas e mantidos no trailer por dias sem nenhum período de descanso. O Canadá sozinho tem uma dos piores regulamentos de transporte no mundo ocidental, ficando bem abaixo do padrão.

Sejam eles porcos ou vacas, galinhas ou cabras, esses seres sencientes não conhecem nada além de uma miséria completa desde o dia que nascem até o dia que são violentamente abatidos. Eles são tratados como meras mercadorias em uma indústria baseada no lucro, sofrendo em silêncio. Existem alguns sortudos que milagrosamente conseguiram sobreviver à jornada ao matadouro e encontraram seu caminho para um santuário. Para a maioria deles, suas vidas curtas estão cheias de crueldade e tormento indescritíveis. Já é hora de mudar isso.

Transporte de “Carga Viva”

Milhares de animais são transportados em caminhões lotados para os matadouros diariamente. Suas viagens podem levá-los centenas de quilômetros ao redor do país em todo tipo de clima. Os regulamentos relativos ao transporte de carga viva variam muito entre os países. Por exemplo, no Canadá, as “Regulamentações da Saúde dos Animais” dizem que os animais podem ser transportados por até 52 horas sem receberem nenhum acesso à água, comida ou um período para descanso. Cavalos, galinhas e porcos podem permanecer em um trailer por até 36 horas sem comida nem água. Isto continua da mesma forma nos dias mais quentes do verão, quando o interior do trailer pode atingir temperaturas extremas causando desidratação e até mesmo a morte. Estima-se que entre dois e três milhões de animais morrem a cada ano durante o transporte – e isso não inclui o número de animais feridos seriamente durante a viagem.

Outro problema inerente a esses regulamentos chamados humanos é a permissão do uso de aguilhões elétricos nas mãos de motoristas não treinados. Esses dispositivos são usados como um meio para forçar os animais a entrar e sair dos caminhões. Além disso, não há nenhuma cláusula prevenindo o transporte de animais doentes, feridos ou prenhes. Eles podem ser transportados contanto que a viagem não cause “sofrimento desnecessário”. Não é incomum encontrar um animal abatido, deitado no chão do trailer coberto de fezes e encharcado de urina, incapaz de se levantar. Recentemente houve vários acidentes envolvendo caminhões de transporte – as vítimas inocentes morrendo sem nenhuma dignidade ou respeito, descartados como lixo. É inegável o fato de que cada etapa do percurso está cheia de sofrimento desnecessário.

Uma história alternativa

A maioria dos animais enviados ao matadouro tem somente alguns meses de idade – bebês apertados em trailers imundos e lotados. Houve vários casos onde animais pularam ou caíram dos caminhões, como foi o caso do porco Cromwell.

Em 2014, um pequeno porco caiu de um caminhão enquanto este viajava em uma rodovia com muito trânsito em Ontário, no Canadá. Felizmente, ele foi resgatado por pessoas bondosas e seguiu seu caminho para o Cedar Row Farm Sanctuary, um santuário dirigido familiar para animais resgatados de maus-tratos, negligência e abate. Hoje, Cromwell não conhece nada além de amor e compreensão. Seus dias em uma fazenda de porcos ficaram para trás. Ele agora está livre para sentir o sol em seu corpo e a grama sob suas patas – pequenos prazeres na vida negados para muitos animais gentis.

Como você pode ajudar

Animais criados em fazendas industriais sofrem crueldades inimagináveis em toda sua (curta) vida. Eles são transportados por longas distâncias sem acesso a comida ou água, sofrendo no calor e frio extremos. Haveria indignação se animais de companhia fossem tratados dessa forma, contudo isso é aceitável quando se trata de animais de fazenda.

Você pode fazer a diferença. Eduque-se e instrua os outros sobre como é a vida de milhões de animais que são mortos para o consumo. Se você é um residente canadense, entre em contato com o seu Membro do Parlamento local e diga que as regulamentações de transporte estão falhando com os animais. Você também pode fazer uma grande diferença ao apoiar os santuários da sua localidade que estão trabalhando pesado para fazer com que este mundo seja um lugar melhor para os animais!

Por Karyn Boswell  / Tradução de Alice Wehrle Gomide

Fonte: One Green Planet 


Nota do Olhar Animal: Regulamentações não protegem os animais, até porque o destino deles continua sendo o abae. Só o fim do consumo evita isso.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.