Abandono de animais em Suzano (SP) ainda é problema

Abandono de animais em Suzano (SP) ainda é problema
Ações para mudar esse cenário são realizadas só por entidades praticamente (Foto: Reprodução Internet)

O Canil Municipal de Suzano abriga 60 cães, porém ainda não é suficiente para sanar o problema de abandono de animais na cidade. Só a Organização Não Governamental (ONG) Projeto Adote Suzano (PAS) tem cerca de cem animais, entre cães e gatos, que são encontrados em situação de rua e encaminhados a lares temporários. Ainda assim, é possível notar a presença de muitos vagando pela cidade.

De acordo com o presidente da ONG PAS, Lisandro Frederico, ainda faltam políticas públicas para atender a demanda. “A ONG tenta estimular a prefeitura a realizar ações em prol da causa. O setor de zoonoses não promove a adoção desses animais, por isso ocorre o acúmulo nas ruas”, explicou.

Lisandro ainda frisou a importância do controle populacional de cães e gatos. “O Poder Público tem a obrigação de promover a castração de animais. É uma questão de saúde pública”.

De acordo com a Secretaria de Saúde, os animais são encaminhados para feira de adoção, em parceria com ONGs da cidade. No entanto, o presidente da PAS afirma que a última campanha de adoção de que o Canil Municipal participou ocorreu há pouco mais de um ano.

De acordo com a pasta, que também responde pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), não existe um levantamento com o número de animais abandonados e a última campanha de vacinação antirrábica imunizou 24.464 animais, entre cães e gatos. Durante a ação, também foi realizada a distribuição de material educativo.

A Prefeitura de Suzano, inclusive, contratou uma empresa para realizar os serviços de reforma e ampliação do Canil Municipal, orçados em mais de R$ 500 mil. A unidade está instalada dentro da Secretaria de Serviços e Manutenção, na rua Valdemar Augusto, 300, na Casa Branca. A reportagem também questionou sobre o andamento dos serviços, mas até o fechamento desta edição ninguém se posicionou a respeito.


Nota do Olhar Animal: Pensar que um local para abrigar os animais vai resolver a superpopulação e o abandono é que é o problema. Não é preciso um mega canil. O que resolve a questão são políticas públicas permanentes de esterilização e educação, que vai muito além da distribuição de folhetos. Ações junto às comunidades, à população, são essenciais. Aumentar o canil para lotá-lo com animais é varrer o problema para de baixo do tapete.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.