Abrigo de animais em Itajaí (SC) está lotado e precisa de voluntários

Abrigo de animais em Itajaí (SC) está lotado e precisa de voluntários
Parcão está com 110 cães abrigos; os gatos foram levados para lar temporário (Foto: Laura Testoni)

O Parcão da avenida Beira-Rio foi transformado em um abrigo para animais. O espaço já está lotado, com 110 cães abrigados. Os gatos que precisaram de acolhimentos foram encaminhados para lar temporário de voluntários.

O Instituto Itajaí Sustentável (Inis) tem oferecido avaliação veterinária aos bichinhos. Em caso de necessidade, o instituto pede autorização aos tutores para realizar os procedimentos – como castração, por exemplo. A equipe, inclusive, já flagrou casos de negligência.

Ampliação

Na tarde desta segunda-feira, a estrutura será ampliada para a quadra de esportes que tem ao lado. O objetivo é dividir os animais para deixar o ambiente menos “estressante” para os bichinhos. E também para, caso seja necessário, abrigar novos pets.

Voluntários

Há seis servidores do Inis e da Unidade de Acolhimento Provisório de Animais (Uapa). Alguns voluntários chegaram nesta segunda-feira, mas a equipe ainda precisa de ajuda, principalmente porque durante à noite nenhum voluntário se prontificou e os servidores acabam tendo que ficar 24 horas no abrigo.

Os voluntários podem ser tanto para ficar no local, quanto para abrigar algum bichinho temporariamente até os tutores conseguirem pegá-los de volta. A comunidade também pode ajudar com doações de tapetes higiênicos, toalhas de banho, jornais, mantas, papelão e cobertores. Tanto as doações quanto os voluntários devem ser dirigidos diretamente ao Parcão.

Quanto a novos acolhimentos, a equipe orienta que apenas animais dóceis sejam levados para o local. Também não é recomendado levar fêmeas no cio ou prenhas. A Diretora de Defesa e Proteção dos Animais, Andréia Paula Resch, pede para que os tutores levem ao abrigo somente se realmente não tiver outra opção.

A equipe de Defesa Animal atende pelo WhatsApp (47) 98857-2144, somente texto.

Fonte: Diarinho

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.