Abrigo prestará queixa do caso do cão encontrado em estado ‘deplorável’ na Espanha

Abrigo prestará queixa do caso do cão encontrado em estado ‘deplorável’ na Espanha

O abrigo de animais El Refugio vai apresentar uma acusação no processo que será aberto no Juizado de Primeira Estancia de Cáceres, alegando crime de maus-tratos no caso do cão encontrado em estado “deplorável” em Piedras Albas, Cáceres.

Tradução de Flavia Luchetti

Depois que os voluntários do abrigo tomaram conhecimento através do Serviço de Proteção da Natureza (Seprona) da Guarda Civil que a vida do animal “estava em perigo devido ao lamentável estado de saúde”, eles se deslocaram até Piedras Albas e assumiram a responsabilidade da cadelinha, batizada de Tanita.

O Seprona interveio resgatando o animal, uma fêmea da raça Boxer, mantida em um “pátio de uns vinte metros quadrados, repleto de excrementos, em condições insalubres e em estado de profunda desnutrição”.

A Prefeitura de Piedras Albas, sensibilizada com o caso, solicitou ajuda ao abrigo de animais El Refugio, “que rapidamente enviou voluntários ao local e se responsabilizou pela cadelinha”.

Depois de uma análise detalhada realizada pelos veterinários, o diagnóstico apresentado demonstrou “várias doenças, que não havendo sido resgatada e tratada por um veterinário teria sua vida em grave risco”.

“Os exames veterinários diagnosticaram sintomas de desidratação, inanição, diarreia com sangue, vômitos, infestação por pulgas, carrapatos e parasitas”, também deu positivo para dirofilariose canina, uma “doença infecciosa de prognóstico mortal, caso não se administrasse o tratamento veterinário adequado a tempo”, informou a protetora em nota a imprensa.

El Refugio disse que vai assumir a maior parte do processo de recuperação do animal e espera “encontrar uma família que a queira adotar quando ela estiver totalmente recuperada”.

O presidente do El Refugio, Nacho Paunero, parabenizou o Seprona pelo “excelente trabalho realizado durante a investigação e elaboração do atestado” e também agradeceu o apoio econômico que o abrigo recebe de seus sócios e doadores, já que isso “permitiu não somente poder ter resgatado, acolhido e começado o tratamento de Tranita, mas também poder dar início no processo de acusação”.

O objetivo do caso é “tentar conseguir que este indivíduo seja julgado e condenado por crime de maus-tratos”, concluiu.

Fonte: 20 Minutos

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.