Abrigos de Avaré (SP) registram média de 50 casos de maus-tratos por mês

Abrigos de Avaré (SP) registram média de 50 casos de maus-tratos por mês

As instituições que cuidam de animais em Avaré, Amor de Quatro Patas e Abrigo Piccolina, registram mensalmente cerca de 50 ocorrências de maus-tratos e abandono de animais na cidade. De acordo com as responsáveis pelas ONG’s, a maior parte dos casos é resolvida por meio de orientações e práticas de conscientização após o recebimento das denúncias. 

Ativista da causa e presidente da ONG Amor de Quatro Patas, Lourdes Conti disse em entrevista à Comarca que houve uma diminuição do número de maus-tratos nos últimos meses, mas o abandono tem crescido vertiginosamente. “Infelizmente, todos os dias vemos cães e gatos nas ruas, porque muitas vezes, a família se encontra em uma situação de crise financeira e acaba abandonando o animal de estimação. Por esse motivo, reforçamos a importância de orientar os proprietários ou quem deseja adotar”, comenta.

Ainda de acordo com ela, a ONG Amor de Quatro Patas tem atendido animais além da capacidade permitida. Mesmo suportando apenas 130 cães, o local abriga até o momento, 220. “Estamos passando por um momento muito complicado, porque além da superlotação, precisamos arrumar formas para conseguir manter a instituição em funcionamento. As doações caíram bastante nos últimos meses”.

Com intuito de estimular a adoção, quase todos os meses a entidade promove feiras em vários pontos da cidade, onde são expostos animais resgatados de situações de abandono ou maus-tratos. “Quando fazemos esses eventos, sempre orientamos as pessoas, elas assinam um termo, e é esse trabalho de conscientização que têm nos ajudado a ampliar o debate acerca do assunto”.

No entendimento de Lurdes, boa parte dos casos denunciados é resolvida após orientações aos donos porque não é provocada por “má-fé”. “Já vimos pessoas idosas que possuíam um cachorro bravo em casa e deixavam acorrentados. Nessas circunstâncias, nós recolhemos o animal e levamos ao abrigo, mas muitas vezes isso acontece por pura ignorância”, relata.

Além das feiras de adoção, Lurdes aposta em palestras sobre o abandono e maus tratos no ambiente escolar. Os voluntários da ONG dispõem de um amplo material didático que estimula a conscientização das crianças desde os primeiros anos de ensino. Dessa forma, segundo a ativista, as responsabilidades e cuidados com os animais são introduzidas desde cedo. “É muito importante divulgar esse trabalho que fazemos nas escolas. Todas as unidades de ensino que precisarem de uma orientação ou palestra, ficaremos à disposição para atendê-las”.

Os abrigos Piccolina e Amor de Quatro Patas estão aceitando doações de cobertores, ração, jornais ou vermífugos. Os interessados podem entrar em contato pelo telefone (14) 3731-4154, ou ir até o Piccolina localizado Rua Profª. Danúsia D Santi, 901 – Ipiranga, Avaré – SP. Já o ponto de arrecadação do Amor de Quatro Patas situa-se na rua Goiás, 1361, mais informações com Lourdes pelo contato: (14) 99839-9829.

Denúncias – Alguns municípios possuem delegacia especializada na defesa animal, como é o caso das cidades de São Paulo e Campinas, por exemplo. Em São Paulo, é possível fazer a denúncia pelo computador. A DEPA (Delegacia Eletrônica de Proteção Animal) é um serviço via internet para denúncias de crimes ocorridos no Estado de São Paulo.

É necessário identificar-se para fazer a denúncia e o sigilo dos dados serão preservados se optar pela privacidade no momento do cadastro da denúncia. De todo modo, as denúncias de abuso ou maus-tratos contra animais devem ser comunicada à polícia, que deverá apurar o caso. Tanto a Polícia Militar, como a Polícia Ambiental, poderão ser acionadas. Na hipótese de a autoridade policial injustificadamente se recusar a registrar a ocorrência, o cidadão deverá procurar o Ministério Público para noticiar o fato.

Fonte: Jornal A Comarca via O Victoriano

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.