Acupuntura ajuda cachorra atropelada por ônibus a recuperar movimentos das pernas no interior de SP; entenda

Acupuntura ajuda cachorra atropelada por ônibus a recuperar movimentos das pernas no interior de SP; entenda
Acupuntura ajuda cachorra atropelada por ônibus a recuperar movimentos das pernas em Itapetininga — Foto: União Internacional Protetora dos Animais/ Divulgação

A cachorra que ficou sem os movimentos das pernas após ser atropelada por um ônibus na Vila La Brunetti, em Itapetininga (SP), está passando por sessões de acupuntura. Segundo o veterinário dela, o tratamento tem como objetivo estimular o sistema nervoso e, consequentemente, a recuperação dos movimentos do animal.

O acidente ocorreu no dia 8 de dezembro, mas a União Internacional Protetora dos Animais (UIPA) registrou um boletim de ocorrência no dia 13, denunciando o motorista do ônibus por não prestar socorro à cachorra, que recebeu o nome de “Letícia”.

De acordo com a UIPA, uma pessoa que passava pela rua presenciou o atropelamento e levou a cachorra até o Ambulatório Pet. Depois, a ONG foi acionada e Letícia foi socorrida às pressas para o Hospital Veterinário de Botucatu, com fraturas em duas vértebras da coluna.

Veterinário atende mais de 30 animais por semana, com sessões de acupuntura — Foto: Reynaldo Landgraf/Arquivo pessoal
Veterinário atende mais de 30 animais por semana, com sessões de acupuntura — Foto: Reynaldo Landgraf/Arquivo pessoal

Reynaldo Landgraf, médico veterinário, contou ao g1 que as sessões de acupuntura têm se tornado cada vez mais comuns nos animais e que os conceitos são parecidos com os utilizados no procedimento com humanos.

“Os equipamentos e as agulhas são semelhantes aos utilizados nas pessoas. A diferença está na anatomia de cada ser vivo. Basicamente, cada ponto (agulha) ajuda a estimular o sistema nervoso”, explicou Reynaldo.
No caso da Letícia, com as sessões de acupuntura, foi possível identificar algumas contrações musculares. Segundo o veterinário, esses pequenos sinais trazem esperança de recuperação parcial dos movimentos.

Reynaldo contou ainda que o tratamento também é eficaz no estímulo de fluxo sanguíneo, relaxamento e alívio de dores. Sendo assim, diversas espécies de animais podem ser beneficiadas pela acupuntura.

“Já realizei acupuntura em tarântulas, jabutis e até em uma píton. O número de sessões depende muito da necessidade do animal e cada uma delas dura em média 40 minutos”, revelou o veterinário, que há dez anos atua nessa especialidade.

Sessões de acupuntura têm se tornado comuns entre os animais — Foto: Reynaldo Landgraf/Arquivo pessoal
Sessões de acupuntura têm se tornado comuns entre os animais — Foto: Reynaldo Landgraf/Arquivo pessoal

Ao g1, Reynaldo disse que sempre se familiarizou com a cultura chinesa, país onde foi criada a terapia com agulhas. No entanto, a paixão pela acupuntura surgiu depois que ele passou por algumas sessões.

Com alguns livros emprestados sobre o assunto, o interesse aumentou e o veterinário começou a investir em cursos voltados aos animais.

“Apesar de comprovado cientificamente, no começo as pessoas estranhavam a técnica em animais. Com o tempo fui apresentando para elas os benefícios. Hoje, por semana, atendo mais de 30 animais”, contou.

Atropelamento

A UIPA registrou um boletim de ocorrência no dia 13 de dezembro, depois de receber a denúncia sobre o atropelamento da cachorra. Segundo moradores, o animal foi atropelado por um ônibus e o motorista não parou para prestar socorro.

Além de socorrer o animal e registrar o BO, a ONG também disse que entrou em contato com a empresa do ônibus que atropelou o animal, mas que o dono não quis arcar com as despesas do tratamento.

ONG denuncia motorista de ônibus por atropelar cachorra e fugir sem prestar socorro em Itapetininga (SP) — Foto: UIPA/Divulgação
ONG denuncia motorista de ônibus por atropelar cachorra e fugir sem prestar socorro em Itapetininga (SP) — Foto: UIPA/Divulgação

Ainda segundo a ONG, não se sabe se a cachorra tem tutor ou morava na rua, mas ninguém entrou em contato para buscá-la.

Um boletim de ocorrência foi registrado por ato de abuso a animais e a Polícia Civil vai averiguar um possível “dolo eventual” por parte do motorista, que é quando alguém, embora sem intenção, assume o risco de produzir um resultado proibido pela lei.

Na cidade de São Paulo, foi sancionada em agosto uma lei que torna obrigatória a prestação de socorro a animais atropelados no município, por parte dos motoristas responsáveis pelos acidentes.

Por Rafaela Zem sob supervisão de Júlia Nunes.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.