Acusado de matar cachorros em Picos alega problemas mentais

Acusado de matar cachorros em Picos alega problemas mentais

Apesar da alegação o conselho manteve a multa.

Por Jesika Mayara

“Jamais eu iria fazer mal a um animal. Se eu estivesse errado, não teria vindo aqui”, relatou o acusado de matar cachorros no povoado Cristovinho, em Picos. O mesmo foi condenado pelo Conselho Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Picos (COMAM) a pagar 50% do valor da multa, que havia sido estipulada em R$ 4795,00.

No dia 10 de agosto, o acusado recorreu da decisão do COMAM alegando problemas psiquiátricos e apresentou laudos médicos. Na reunião desta quarta-feira, 14, o pedido de reconsideração foi debatido entre os conselheiros.

O acusado participou da reunião e na ocasião negou a autoria do crime, além disso, afirmou que cuida de animais e realiza ações sociais na comunidade Cirstovinho, onde reside com sua família.

Apesar do relato do mesmo, por sete votos a um os conselheiros decidiram manter a decisão e a pena será mantida. Esse foi o terceiro julgamento do caso, que vem sendo acompanhado pela Organização não Governamental Amigos Protetores dos Animais de Picos (APAPI).

O autuado deverá pagar R$ 2397,50. 40% recurso será revertido para o fundo municipal de meio ambiente e os outros 10% para a APAPI, que realizará castrações gratuitas onde o crime aconteceu.

Relembre o caso

O crime, que aconteceu em 2015, é referente a um morador do povoado Cristovinho que foi acusado por vizinhos de matar aproximadamente cinco cachorros de rua com arma de fogo.

Segundo fiscais do meio ambiente o acusado confessou o crime e afirmou que os cachorros estavam acabando com seu rebanho de caprinos. Após receber a denúncia fiscais realizaram a vistoria no local com apoio da Polícia Militar.

Fonte: Picos 40 Graus 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.