Adeus ao zoológico: a dura história da orangotango fêmea Sandra, o símbolo que ao final não virá para o Brasil

Adeus ao zoológico: a dura história da orangotango fêmea Sandra, o símbolo que ao final não virá para o Brasil

Tradução de Nelson Paim

A estatização do zoológico de Buenos Aires, já é um fato. O governo portenho realizou ontem o anúncio e ofereceu alguns detalhes de como será o processo de transformação – em direção a um parque ecológico – e fechou para iniciar um inventário até as férias de inverno. Ainda que muitos dos 1.500 animais que possui o zoológico sejam transladados a reservas e santuários, alguns estariam obrigados a permanecer em Palermo: este é o comovente caso de Sandra, uma fêmea de orangotango que é um símbolo da transformação. Agora, com mais detalhes de sua complicada história, se soube que ela está doente de tuberculose e sua mudança poderia colocá-la em uma situação ainda mais arriscada.

O ministério da modernização explicou que Sandra deveria ser submetida a uma quimioterapia: “o santuário que poderia recebê-la está situado no Brasil, mas exige que ela se submeta a um tratamento muito invasivo, o que poderia causar riscos em sua vida”, disseram. Em fevereiro, Sandra completou 30 anos.

O nome de Sandra ganhou fama mundial em 2014 quando, em um fato inédito, a justiça argentina lhe reconheceu direitos básicos como “sujeito não humano” e lhe concedeu um recurso de habeas corpus, figura legal que utiliza para casos de pessoas privadas ilegitimamente de sua liberdade. Este fato criou um precedente radical na jurisprudência argentina, que até este momento considerava os animais como coisas.

Argentina BuenosAires sandra nao vira brasil2

Como muitos outros animais que são exibidos em zoológicos, Sandra nunca viveu em liberdade, menos ainda em seu lugar de origem, na Sumatra, uma ilha da Indonésia.

Esta espécie de orangotango está em “perigo crítico de extinção”, segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza, e em 2015 se contabilizaram 9.200 exemplares em estado silvestre.

Todos os 19 de agosto se celebra o Dia Mundial do Orangotango de Sumatra para gerar conscientização sobre a espécie.

Sandra nasceu em fevereiro de 1986 no zoológico alemão de Rostock e chegou a Buenos Aires em setembro de 1994, ela teve um filhote, mas este foi entregue a outro zoológico.

Em Buenos Aires há outros animais em estado crítico, incluindo um filhote de leão com hipotireoidismo e um jaguar de idade avançada. Poucas semanas atrás, a mesma ONG que desencadeou os pedidos por Sandra – a Associação de Funcionários e Advogados pelos Direitos dos Animais (AFADA) – denunciou penalmente as autoridades do zoológico ao governo portenho por “possível ação de delito de crueldade animal”.

A AFADA entende que as três elefantas que convivem em um mesmo recinto “apresentam comportamentos que evidenciam uma palpável situação de doença física e psicológica”.

Tudo parece indicar que o duro final para Sandra chegará no próprio zoológico de Buenos Aires, junto com os animais mais velhos que não podem ser levados a outros lugares. Mas a orangotango deixará um legado de mudanças que parecem trazer condições mais amigáveis para outros companheiros de cativeiro.

Fonte: Clarín

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.