Adolescente da Serra (ES) faz campanha para ajudar gatinhos abandonados a encontrar um lar

Adolescente da Serra (ES) faz campanha para ajudar gatinhos abandonados a encontrar um lar

Em meio à pandemia existem pessoas que se dispõem a ajudar não só ao próximo mas também os animais. É o caso da estudante Késia Castilho Basílio, de apenas 16 anos.

Moradora de Barcelona, na Serra, Késia que já adotou diversos animais, ficou sensibilizada ao andar pelas ruas do bairro e se deparar com uma área de preservação onde havia cerca de 60 gatos abandonados. “Também vi uma senhora, muito humilde, a Dona Gerusa, que estava alimentando-os. Quando conversamos, ela me contou que tem se esforçado ao máximo para ajudá-los, e que fica triste com a maldade das pessoas e descaso das autoridades com aquela situação”, contou.

Dona Gerusa não é a dona dos gatinhos, mas cuida como se fosse. É que o quintal de sua humilde casa se tornou a extensão do habitat dos gatos e com muita compaixão ela passou a alimentá-los, junto com os gatinhos que já tem. Com isso, Késia conta que hoje Dona Gerusa já acumula uma dívida de aproximadamente R$ 2.000,00 com compra de ração, clínicas veterinárias e petshop por conta da sua luta por esses animais.

“Infelizmente, sua bondade não tem conseguido alcançar a velocidade na qual esses animais se reproduzem e a situação fugiu do seu controle. Uma pessoa que quase não tem para o próprio sustento, tentando mudar a condição de vida desses inocentes “.

Gatinhos adotados pelo Instagram Gatinhos sem lar. – Foto: Reprodução / Instagram

Foi aí que a jovem decidiu abraçar de vez essa causa, para ajudar a senhora e os animais. Ela criou um perfil no Instagram @gatinhosemlar e uma conta no PicPay para arrecadar dinheiro para as castrações e também para achar um lar para eles. E não é que essa ajuda tem dado certo? Desde então, mais de 30 gatos foram adotados e três castrados com a ajuda de veterinários que cobraram preço de custo. Mas Késia está só na metade do caminho, este que vai aumentar a qualquer momento, já que uma das gatas está prenha.

“No decorrer desses meses, lutando para conseguir adoções, percebi como as pessoas colocam uma série de critérios para adotar um animal. Perguntam se ele é filhote, macho, de uma cor especifica, se vem vermifugado, vacinado e com castração garantida. Foram poucos os que me procuraram de coração aberto. Por incrível que pareça, mesmo já tendo sido tão maltratados, todos são extremamente doceis e carinhosos. Isso só reafirma a ideia de que temos muito o que aprender com os animais”, concluiu a jovem.

Fotos: Reprodução / Instagram

Késia ainda conta que chegou a procurar ajuda na prefeitura da Serra, porém o município não oferece o serviço de castração de animais. Nós também entramos em contato e segundo a assessoria de comunicação, na Serra existe o Conselho Municipal de proteção e defesa dos animais (CMPDA). Quanto ao Projeto de Controle Populacional de Caninos e Felinos da Serra, o mesmo já foi concluído e aprovado pelo Conselho Municipal. Porém, ainda está sob análise do Conselho Regional de Medicina Veterinária. Assim que sair a aprovação será dado o andamento no projeto de controle populacional de caninos e felinos.

Enquanto isso, a adolescentes de 16 anos vem fazendo a diferença doando seu tempo e amor a esses animais. A ajuda pode vir de várias formas. Seja com doação de ração e remédio, adoções, lar temporário ou ajuda de custo para as castrações. Os interessados é só entrar em contato pelo telefone (27) 99909-1366.

Por Roberta Salgueiro

Fonte: Folha Vitória

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.