Agente denuncia que cães são ‘eutanasiados’ e jogados em lixão em Pau dos Ferros, RN; imagens fortes

Agente denuncia que cães são ‘eutanasiados’ e jogados em lixão em Pau dos Ferros, RN; imagens fortes

O agente de endemias Raimundo Jackson Medeiros da Silva faz grave denúncia contra a administração municipal de Pau dos Ferros: cães estariam sendo eutanasiados pelo setor de vigilância ambiental da Prefeitura sem nenhum critério e jogados no lixão da cidade alto-oestana. Além de atentar contra a causa animal, o fato é uma ameaça à saúde das pessoas.

Jackson gravou um vídeo no local onde as carcaças foram jogadas a céu aberto e registrou em fotos para comprovar a denúncia. Segundo Jackson, ele encontrou crânios de 11 animais jogados no lixão de Pau dos Ferros.

O agente recebeu a denúncia de populares, dando conta que animais de ruas estavam sendo sacrificados e jogados no lixo. Logo que chegou ao local, encontrou a primeira carcaça de um cachorro. Na área de dentro, ele encontrou mais carcaças de animais sacrificados.

Carcaças de animais no lixão a céu aberto em Pau dos Ferros
Carcaças de animais no lixão a céu aberto em Pau dos Ferros

“Vale salientar que a legislação sanitária proíbe que esses animais sejam jogados a céu aberto. Na verdade, ao ser eutanasiado por questão de leishmaniose, os animais deveriam ser cremados”, ressaltou Jackson, alertando que o lixão do município não poderia ser usado para esse fim.

Carcaça de cães no lixão de Pau dos Ferros
Carcaça de cães no lixão de Pau dos Ferros

“Aqui tem pessoas que residem nesse local, animais vivos circulam no lixão, essa situação afronta diretamente a legislação sanitária e ambiental do município”, afirmou. “Esses animais jogados assim vão contaminar o meio ambiente”, o que pode provocar danos à saúde da população.

QUANDO CANDIDATA

A causa animal, que ganha cenário crítico neste momento, a partir da grave denúncia, foi tema de debate nas eleições de 2020. A prefeita Marianna Almeida (PSD), então candidata, acusou a gestão do prefeito Leonardo Rêgo (DEM), que tentava reeleição, de negligenciar nos cuidados com os animais de ruas.

O vídeo acima mostra o discurso de Marianna, com acusações fortes contra Leonardo. Ela, inclusive, falou da morte do avô, ocorrida há dois anos, vítima da leishmaniose. E aproveitou para fazer promessas de que se fosse eleita resolveria o problema. Com oito meses de gestão e, levando em conta a denúncia gravada pelo agente de endemia Jackson Medeiros, parece que a situação ficou pior.

A denúncia feita pelo agende de endemias é gravíssima e exige, de imediato, uma posição da prefeita Marianna. Também deve provocar o Ministério Público Estadual (MPRN) e Federal (MPF/RN) para uma investigação profunda.

As entidades de defesa da causa animal devem reagir, sob pena de o silêncio contribuir para o que está acontecendo com os animais de rua de Pau dos Ferros.

Fonte: DeFato


Nota do Olhar Animal: Esse tipo de ação não se chama “eutanásia” e sim EXTERMÍNIO, ação promovida comumente pelas prefeituras, tecnicamente equivocada e eticamente indefensável, e que é bem diferente da eutanásia. A eutanásia é um ato de caráter misericordioso e que deve atender aos interesses de quem o sofre, e não aos interesses de quem o pratica. Só pode ser chamado de “eutanásia” o ato de abreviar a vida de um animal com doença incurável e em estado irreversível de sofrimento. A leishmaniose pode ainda não ter cura, mas se for tratada se evita o sofrimento do animal. Os órgãos públicos de saúde disseminaram o entendimento errado do termo “eutanásia” a fim de tentar minimizar a IMORALIDADE de suas ações de extermínio. Infelizmente, até mesmo protetores usam erradamente esta terminologia.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.