Agentes da SEA fazem operação para inibir caça criminosa em Guarapimirim, RJ

Agentes da SEA fazem operação para inibir caça criminosa em Guarapimirim, RJ

A Secretaria de Estado do Ambiente (SEA) realizou na madrugada deste sábado (4/7) uma operação em três ranchos usados por caçadores, nas proximidades do Parque Estadual dos Três Picos, em Guapimirim, no interior do estado. Na ação, foi apreendida uma grande quantidade de material de caça, inclusive alçapão para captura de pássaros, armadilhas para pequenos mamíferos e trabucos (armadilha preparada com arma de grosso calibre que atira ao ser acionada quando passa um animal). Os agente disseram que, no caso da armadilha, há riscos também para as pessoas que percorrem as trilhas do parque.

A operação ambiental foi comandada pela Coordenadoria Integrada de Combate aos Crimes Ambientais (Cicca), da SEA, com o apoio da Polícia Militar Ambiental e do Instituto Estadual do Ambiente (Inea). O objetivo é inibir a caça predatória de animais silvestres na área de Mata Atlântica, próxima ao Centro de Primatologia do Inea.

RJ Guarapimirim agentes da sea fazem operacao para inibir caca criminosa no rio

Os agentes entraram na mata disfarçados de caçadores, para dar o flagrante dos crimes cometidos contra os animais na região. Há dois meses os órgãos vem monitorando as movimentações dos criminosos na área de preservação ambiental. A pena para quem for flagrado caçando com equipamentos ilegais e arma de fogo pode chegar a quarto anos de reclusão com multas individuais de até R$ 10 mil.

Segundo o coordenador da Cicca, coronel José Maurício Padrone, os prejuízos ambientais causados pela caça de animais silvestres é a extinção de espécies essenciais para a sobrevivência humana, além da destruição da biodiversidade.

O Parque Estadual dos Três Picos é a maior unidade de conservação do estado, com mais de 65 mil hectares de território que atravessam os municípios de Nova Friburgo, Cachoeiras de Macacu, Guapimirim, Teresópolis e Silva Jardim. Estes municípios e outros 10 são abastecidos pelas nascentes do parque e favorecem mais de 2 milhões de habitantes, de acordo com a SEA.

Fonte: Jornal do Brasil

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.