Águia tenta carregar garoto em parque na Austrália

Águia tenta carregar garoto em parque na Austrália

Menino sofreu ferimentos superficiais no rosto, mas passa bem.

Uma águia audax, a maior ave de rapina existente na Austrália, tentou carregar um garoto no Alice Springs Desert Park, no Território do Norte. A visitante Christine O’Connell, do estado de Vitória, estava com o seu marido no parque no último dia 6 e flagrou o enorme pássaro atacar o menino, que aparentava ter entre 6 e 8 anos.

Em entrevista à BBC, Christine contou que o garoto escapou apenas com ferimentos superficiais no rosto. Ela contou que a águia voou diretamente em direção ao menino, que ficou desesperado com o ataque. O pássaro agarrou o casaco do garoto e tentou carregá-lo, até a intervenção de funcionários do parque.

Keenan Lucas, outra testemunha, contou à agência NT News que os visitantes estavam assistindo a um show com pássaros, que terminou abruptamente com o ataque incomum.

— Nós estávamos no show de pássaros da tarde, nos divertindo e ansiosos para ver a águia audax no grande final — contou Lucas. — O pássaro então voou sobre a multidão e tentou agarrar a cabeça do garoto. Ele gritou, a mãe ficou desesperada e o show foi encerrado rapidamente.

Em comunicado, o parque informou que um “incidente” aconteceu durante uma apresentação no dia 6 de julho, quando “uma águia fez contato com um membro do público”.

“Uma investigação completa sobre as circunstâncias por trás deste incidente está em curso e a águia será removida do show enquanto a investigação estiver em curso”.

Fonte: O Globo 

Nota do Olhar Animal: O fato da presa ser um humano neste episódio evidencia mais uma vez a necessidade de se discutir os problemas que envolvem a predação. Não há porque pensar que para as vítimas não humanas a experiência é menos aterrorizante, danosa, sofrida do que poderia ter sido para o garoto. A origem “natural” da predação não torna menor o sofrimento que ela causa, tão pouco a qualifica como moralmente menos relevante. A predação é obviamente impactante para a presa e até mesmo para o predador, que muitas vezes acaba se tornando vítima nos embates. Há alguma forma de minimizar isto sem causar danos a um dos lados? A ideia parece absurda para muita gente que nunca se deteve no assunto, fere paradigmas profundamente caros para elas. Mas a intervenção na natureza já ocorre cotidianamente, muitas vezes sem que estas mesmas pessoas se apercebam. Para uma introdução ao tema, recomendamos o acesso a um texto do site Ética Animal: clique AQUI.

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.