Alma de Galgo: conheça o grupo de resgate e proteção aos galgos

Alma de Galgo: conheça o grupo de resgate e proteção aos galgos

Os cães da raça galgo são conhecidos como os mais rápidos do mundo, eles podem atingir a marca de 72km/hora. Além dessa aptidão incrível, sua beleza é deslumbrante, e seu temperamento é afetuoso, são inteligentes e extremamente gentis.

Mas não são suas qualidades de companheirismo e fidelidade aos tutores que chamam atenção, sua velocidade e inteligência, sim. Eles são muito utilizados em competições de corridas e também em caças aos javalis. Duas atividades ilegais no país.

O maior problema é que no decorrer da idade, por perder sua agilidade, ou ficarem muito machucados, são simplesmente abandonados. Foi a partir disso, que surgiu a Alma de Galgo, um grupo destinado ao resgate, proteção e ressocialização dos Galgos.

O Lance Notícias conversou com Joice, a fundadora da Alma de Galgo, que contou sobre o início do grupo e seu principal objetivo na luta contra as atividades ilegais que envolvem esses cães.

– Resgato animais desde que me conheço por gente, e em meados de 2013 eu trabalhava com uma linha de produtos para Galgos, foi assim que entrei para esse mundo, digamos, e também foi assim que começaram a aparecer cães precisando de ajuda, e dessa forma aconteceram os primeiros resgates e doações – contou.

Joice resgatou duas galgas, a Jujuba e a Baunilha, e para prestar contas sobre o tratamento delas e de todas as doações que recebia, ela criou um grupo de WhatsApp, em setembro de 2017.

– Fundei esse grupo para o pessoal acompanhar os tratamentos, e fazer a prestação de contas. Depois disso começaram a surgir mais e mais cães. Fui então resgatando, castrando e colocando para adoção e o grupo não parou mais – disse.

Joice participou inclusive de um resgate em Santiago, no Chile, trazendo três cães que foram tratados, castrados e adotados. Foi assim que a Alma de Galgo tomou proporções nacionais.

– No ano de 2019 passaram pela minha casa 72 cães. E de janeiro até agora, passamos de 100 – contou. Em três anos do grupo, cerca de 200 cães foram resgatados, tratados e adotados por famílias amorosas, escolhidas a dedo por Joice.

A Ong não recebe verbas públicas, e sobrevive com doações da comunidade e eventos realizados em todo o país, além do trabalho voluntários dos apaixonados por esses seres incríveis, os Galgos.

Para colaborar com a Ong você pode clicar aqui, e entrar na página do Apoia.se, e realizar sua doação. Além de seguir as redes sociais da Ong, no Instagram @almadegalgo e o grupo do Facebook.

Confira fotos da Baunilha e alguns antes e depois:

Baunilha, homenageada na pele de Joice.

Por Raquel Sarmento

Fonte: Lance Notícias


Nota do Olhar Animal: Vergonhosamente, a Prefeitura de Bagé anunciou o investimento em um centro de corridas de galgos. A atividade vêm sendo banida na Argentina, pois além dos maus-tratos impostos aos cães, está comumente associada a outros crimes.

Estes 4 fatos sobre a vida dos galgos na indústria de corridas farão você agir e votar para acabar com isso!

Menores são filmados levantando apostas e entregando drogas em uma corrida de galgos na Argentina

Você faz questão de um cão de raça? Pense duas vezes…

 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.