Alunos da UFU (MG) alertam motoristas sobre cuidados com animais

Alunos do Instituto de Biologia da Universidade Federal de Uberlândia (UFU)  realizarão no próximo domingo (13), na BR-050, uma campanha de conscientização sobre cuidados com os animais. A ação é em comemoração ao Dia Nacional de Urubuzar, uma das maiores campanhas de conservação da vida silvestre no Brasil. O trabalho será feito em postos de combustíveis às margens do trecho entre Uberlândia e Araguari.

A campanha nacional é coordenada pelo Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia de Estradas (CBEE). Cerca de 40 alunos vão abordar e entregar aos motoristas um folder educativo com recomendação de especialistas. Entre as dicas, cuidados que se devem ter ao visualizar um animal cruzando a rodovia:  o motorista deve usar farol baixo, reduzir a velocidade e ter atenção para que ele não se assuste e corra em direção ao veículo. O condutor deve, ainda, sinalizar para os demais veículos, já que os bichos têm atitudes inesperadas.

Segundo o professor Alex Bager, do departamento de Biologia da Universidade Federal de Lavras (UFLA), o objetivo é informar as pessoas sobre a grande perda da biodiversidade em função do atropelamento. ” E divulgar que elas podem colaborar na redução deste impacto com atitudes simples quando estão dirigindo, e ser um pesquisador cidadão utilizando o app Urubu Móbile”, explicou.

Diversidade de vítimas

O levantamento feito pelo CBEE revela que dos 475 milhões de animais silvestres atropelados, 90% são de pequeno porte, como sapos, cobras, ratos, passarinhos. Outros 9% são de médio porte, como macacos, gaviões, gambás, lebres e 1% são os animais que mais visualizamos, como os tamanduás, capivaras, lobos guará, felinos, antas.

Já no trecho da BR-050 entre Uberaba e Uberlândia, segundo levantamento realizado pela professora Ana Custódio, coordenadora da campanha feita pela UFU, a lista dos mais vitimados inclui tatu, cachorro-do-mato, jaratataca, tamanduá-bandeira, cascavel, capivara, mão-pelada, tamanduá-mirim, lobo-guará, carcará, coruja e seriema.

Como colaborar

Para proteger a fauna silvestre e reduzir esse tipo de acidente, a MGO Rodovias desenvolve programas de monitoramento e mitigação, visando proteger as diversas espécies que vivem às margens da BR-050.

Em caso de atropelar ou encontrar um animal morto, vivo ou machucado, o motorista ou pedestre deve entrar em contato com a cocessionária. É muito importante informar o quilômetro da ocorrência e o sentido da pista (norte ou sul) e, caso consiga, informar ou descrever a espécie de animal encontrado.

Os alunos ainda ressaltam que o cuidado deve ser redobrado nos horários de crepúsculo, quando os animais são mais ativos. “É importante ficar atento ao passar próximo a cabeceiras de pontes, riachos, pois a presença de animais é comum nestes locais”.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.