Amanhã será lançado o primeiro fanzine vegano: Comozine

Amanhã será lançado o primeiro fanzine vegano: Comozine

Por Maria Castellano e Cabeto Rocker Pascolato

Seis jovens com seis realidades diferentes, mas com muitas coisas em comum: impactados em suas vidas da descoberta do que está por trás da construção de nossas sociedades, do consumo de produtos industrializados e a sedução das mídias que nem sempre revelam como são feitos esses “produtos” que estão nas prateleiras. Uma coisa é certa e comum para todos esses seis jovens: os comerciais mentem. As atrocidades e violências causadas aos animais (inclusive, em muitos casos, também aos seres humanos) e à natureza como um todo, estão incomodando nossos jovens. E eles tem algo para dizer. Na história humana sempre os jovens incomodados ajudaram a construir as bases para alicerçar as mudanças que movem a humanidade para a frente.

Numa tarde de bom bate-papo com um desses jovens, Arthur Ferreira, 18 anos, estudante, ator, desenhista, entre outros tantos talentos, surgiu a ideia de fazermos um fanzine. Essa prática, tipicamente urbana, tem a vantagem de ser uma publicação “caseira”, de rápida produção, de baixo custo, além do mais importante: sua independência editorial. Essa independência, por si só já dão voz à originalidade, transparência e desejo de revelar e transgredir o que se tem como “certo, como aceito” e protegido pelos “bons costumes”. Podemos dizer que esses quatro elementos juntos poderiam ser traduzidos na sábia e velha frase “as crianças não tem papas na língua”.

Daquela tarde de conversas sobre veganismo, direitos animais e sustentabilidade, ativismo e abolicionismo, aconteceu uma sucessão de ótimas surpresas. Arthur convidou outros amigos com afinidade com os temas pertinentes e começaram a chegar algumas ideias, rascunhos e desenhos. A surpresa maior foi descobrir que muitos deles já tinham essas preocupações com o que está acontecendo ao nosso redor. E notamos, também, que o senso crítico de nossos jovens está bastante fundamentado nas questões que permeiam o respeito pela vida de todos os seres que habitam esse planeta. De uma forma ou de outra, direta ou indiretamente, esses questionamentos estão chegando neles. Alguns dos desenhos desmentem como os rótulos de certos produtos apresentam a “felicidade e bem estar” dos animais retratados. A contribuição feminina está garantida neste fanzine. E elas surpreendem pela sutileza. Outra surpresa boa: o pai de Arthur enviou um desenho contagiado pela fruição da empreitada e a obra foi aprovada por todos.  Os desenhos mostram a sensibilidade desses jovens e como eles são atingidos pelo o que está acontecendo atualmente no mundo. E é aí que reside a famosa “luz no final do túnel”. Aí está um ponto para nos debruçarmos e propormos novos diálogos em busca de transformarmos nossas sociedades.

O nascimento do COMOZINE é uma dessas urgências de propormos os questionamentos sobre nossas escolhas, de como elas nos são apresentadas, sem que saibamos ao certo o preço que estamos (ou outros estão) pagando e o que estão nos dando para escolher. E os jovens de hoje estão querendo fazer escolhas diferentes e mais compromissadas com um futuro melhor e mais justo para todos. Esse momento que atravessamos é decisivo e determinante de como será esse futuro. E esse futuro é nosso, seu e é de todos.

Nós, do COMO? Espaço Vegano, sabemos que a construção de um mundo mais justo, mais sustentável e menos violento está intimamente ligado em como tratamos e educamos nossos jovens. E esse momento que atravessamos em nossas sociedades é exatamente o de rever nossas escolhas, costumes e tradições. Este fanzine espera contribuir com essa transição para as novas escolhas que precisamos fazer como sociedade organizada. Os desenhos deste número zero da COMOZINE não deixam mentir. E os jovens não são bobos.

SERVIÇO: LANÇAMENTO DO COMOZINE, fanzine artesanal

QUANDO: dia 10 de junho, às 17:30- com Hamburgada

Entrada livre. 18:30 roda de conversa com os autores

ONDE: COMO? Espaço Vegano, Rua José Martins, 585, Barão Geraldo- Campinas

Fonte: COMO? Espaço Vegano.

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.