Ambientalistas querem proibição de fogos de artifício com estampido em Patos de Minas, MG

Ambientalistas querem proibição de fogos de artifício com estampido em Patos de Minas, MG
Em Uberlândia, as alterações na Lei proíbem a soltura de fogos de artifício com estampidos.

A partir de 1º de janeiro de 2021, a soltura de fogos de artifício com estampido estará proibida na cidade de Uberlândia. É quando entram em vigor, as alterações na Lei 549/2018, que proíbem a soltura de fogos de artifício com efeitos sonoros no município. Em Patos de Minas, voluntários do meio ambiente cobram a aprovação de medida semelhante.

Em Uberlândia, as alterações na Lei que proíbem a soltura de fogos de artifício com estampidos foram aprovadas em março deste ano, a partir de uma recomendação expedida pelo Ministério Público de Minas Gerais. Com a mudança na Lei, fica absolutamente vedada a soltura de bombas, foguetes, morteiros, rojões e outro tipo de artefato pirotécnico com estouros e estampidos em qualquer espaço da cidade.

Em Patos de Minas, o conselheiro ambiental do Cima, Codema e Colmeia, Civuca Costa, inicia uma movimentação com os vereadores de Patos de Minas, para a implantação de projeto similar e aprovação de lei no mesmo sentido de proibir a utilização de fogos de artifício com ruídos e estouro no Município. Para o conselheiro, o projeto deverá contar com o apoio de órgãos ambientais, de saúde e de proteção animal e de grande parte da população patense, inclusive da futura administração municipal.

“A soltura de foguetes, bombas e artefatos com qualquer tipo de estampido, além de ser uma prática primitiva e de mau gosto, provoca a poluição sonora, maltrata a saúde dos animais e dos humanos, principalmente os recém-nascidos e os idosos que precisam de descanso, paz, serenidade e silencio para viver com o mínimo de dignidade e respeito”, define o gestor ambiental de Patos de Minas.

Segundo Civuca Costa, o resultado das eleições em Uberlândia prova que a lei que proíbe fogos de artifício é uma medida inclusiva com o apoio da maioria da população, pois, se fosse uma lei antipopular o atual prefeito de Uberlândia não teria sido reeleito no primeiro turno com votação absoluta da maioria dos eleitores uberlandenses.

A polêmica em torno da soltura de fogos de artifício com estampidos não é de agora. Órgãos de defesa animal e ambiental alegam que esta prática causa danos à saúde humana e também dos animais. Há alguns dias em Patos de Minas, uma queima de fogos no centro da cidade virou caso de Polícia. O profissional que promoveu a queima durante a noite foi parar na Delegacia. Ele disse que foi contratado por uma empresa. Há quem diga que o show pirotécnico fazia parte de um pedido de namoro.

Por Maurício Rocha 

Fonte: Patos Hoje

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.