Análise de projeto que veta sacrifício animal é novamente adiada no RS

Análise de projeto que veta sacrifício animal é novamente adiada no RS

Deputada Liziane Bayer (PSB) fez pedido de vista e votação foi postergada. Representantes de religiões africanas protestaram durante a manhã.

Por Roberta Salinet

RS portoalegre protesto2a

A votação da constitucionalidade do projeto de lei que proíbe o sacrifício de animais em rituais religiosos foi novamente adiada na manhã desta terça-feira (14). Após um início de sessão com clima tenso entre defensores da causa animal e representantes de religiões de matriz africana, a deputada Liziane Bayer (PSB) fez um pedido de vista (mais tempo para analisar o caso), o que postergou em duas semanas a discussão sobre o tema, devido ao feriado de Tiradentes.

Representantes das religiões ocuparam parte do auditório, que estava lotado. Eles foram vestidos à caráter, tocaram instrumentos e cantaram músicas típicas. Já os defensores da causa animal vestiram camisetas e levaram cartazes. Um esquema de segurança foi montado para garantir que a sessão trancorresse com tranquilidade e os grupos estavam separados por uma grade. Mesmo assim, minutos após o início, foi feito o pedido de vista.

Ao se retirarem do prédio da Assembleia Legislativa, os religiosos iniciaram um protesto pelas ruas da capital. De acordo com o monitoramento do Centro Integrado de Comando (Ceic) da capital, o grupo era de aproximadamente 250 pessoas por volta das 12h.

A avenida Júlio de Castilhos foi bloqueada pelos manifestantes e até o meio-dia o trânsito era lento nas avenidas Siqueira Campos, Sete de Setembro e também na Mauá. Agentes da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) orientam os motoristas para desvios.

RS portoalegre protestoJá ativistas da causa animal tiraram parte das roupas no Largo Glênio Peres, entre o Mercado Público e o Chalé da Praça XV, também no centro da cidade. O ato representou crianças como vítimas de rituais antigos.

Uma das participantes do ato é a fotógrafa gaúcha Juliana Marques, 40 anos, que vive em Paris e participa de associações francesas de defesa aos animais. Vegana, ela é militante da causa desde o ano 2000, atuando como voluntária de grupos internacionais como People for Ethical Treatment of Animals (Peta) e Sea Shepherd Conservation Society.

Na última terça (7), a mesma situação de protesto na Assembleia havia adiado a votação, quando o deputado Diógenes Basegio (PDT) fez o pedido de vista. Nesta semana, a sessão foi marcada para o teatro Dante Barone, na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul. Foi a primeira vez que a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) reuniu-se fora da sala destinada ao grupo.

O PL propõe alteração do Código Estadual de Proteção aos Animais, de 2003, e revoga a Lei nº 12.131 que, com o argumento de garantir o pleno exercício das liberdades religiosas, autorizou o abate de animais para religiões de matriz africana, em 2004. Se for retirada a permissão, volta a valer a redação original. Ou seja: será proibido sangrar bichos nas cerimônias. A proposta é de autoria da deputada Regina Becker Fortunati (PDT).

RS portoalegre fullsizerender

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.