ANIMAD denuncia postura 'arrogante' das autarquias na questão dos animais comunitários em Madeira, Portugal

ANIMAD denuncia postura ‘arrogante’ das autarquias na questão dos animais comunitários em Madeira, Portugal

A Associação ANIMAD, reagiu às polémicas relativamente aos animais comunitários retirados por várias Câmaras Municipais da Região, denunciando que a Madeira está a caminhar para o “caminho errado” nesta questão.


“Já aconteceu com Câmara de Lobos, com animais protegidos por nós e agora recentemente pela da Ribeira Brava. No entanto, sabemos que acontece em todos os concelhos. Infelizmente, vamos todos no caminho errado!”, denunciou a associação em comunicado.

“Ou iniciamos um percurso de noção de realidade e de trabalho único em prol dos animais ou vamos continuar a ser, todos, cúmplices de matanças de cães e gatos nesta Pérola do Atlântico”, denuncia ainda a ANIMAD.

A Associação refere que a segurança desses animais é prioridade, declarando que a existências de animais comunitários tem que ser melhor tratada.

“As Câmaras, todas elas, continuam a actuar com a sua bela postura arrogante, acenando, sempre que criticadas, com a Lei existente, demonstrando uma fraca noção da realidade no terreno”, refere a ANIMAD, declarando que as autarquias não se mostram flexíveis neste aspecto.

No extenso comunicado, a ANIMAD refere ainda que continuam a ser promovida a eutanásia entre os animais.

“Vocês, correcção, as clínicas, os veterinários e associações que trabalhem para vós, continuam a eutanasiar animais! É ridículo e sinónimo de completa ignorância para com o assunto, o Exmo Presidente da AMRAM vir à comunicação social dizer que não eutanasiam animais!”, diz a associação, defendendo um maior investimento na esterilização animal.

“Se tivessem endereçado os milhões que gastaram nas festas de verão, nos vossos concelhos, gastos com grandes artistas e comes e bebes, para a esterilização animal, estariam aí sim, a fazer algo de produtivo pelo vosso concelho”, critica a ANIMAD.
“Continuam a camuflar o problema animal” na ilha, denuncia, “como têm feito durante décadas”, fomentando a falta de exigência de um trabalho de raiz e continuam a incentivar uma parte ignorante da população que, a seu belo prazer, procria e abandona animais na rua.
“Como conseguem observar caras autarquias e todos os seus apoiantes, nem todos estão a dormir e nem todos ‘engolem’ as vossas listas de euros gastos em vacinas e os vossos números de adopções”, afiançou a ANIMAD.

Fonte: JM Madeira / mantida a grafia lusitana original

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.