Animais‌ ‌encontrados‌ ‌mortos‌ ‌e‌ ‌desnutridos‌ ‌na Espanha

Animais‌ ‌encontrados‌ ‌mortos‌ ‌e‌ ‌desnutridos‌ ‌na Espanha

Os agentes do Serviço de Proteção à Natureza (Seprona) localizaram os animais em condições lamentáveis, em estado de desnutrição e até mortos no fundo de um barranco.

Uma ligação anônima salvou a vida desses animais que a Guarda Civil resgatou de maus-tratos. Os agentes do Seprona realizaram ações diferentes nas ilhas de Tenerife e La Gomera, onde localizaram vários animais em condições lamentáveis, outros em estado grave de desnutrição e até uma dúzia de cães mortos no fundo de um barranco. Em uma primeira ação, os agentes do Seprona receberam um aviso da polícia local do município de Puerto de la Cruz, Tenerife, sobre o local em uma fazenda de alguns porcos vietnamitas, uma espécie exótica invasora para as Ilhas Canárias, que poderia estar em más condições higiênico-sanitárias.

Quando os agentes do Seprona chegaram ao local para verificar os fatos, observaram uma pequena criação de aproximadamente 40 metros quadrados, onde dez porcos vietnamitas estavam confinados em condições lamentáveis, já que não tinham água nem comida e com sinais externos de desnutrição. Os animais não tinham uma área de abrigo, estavam expostos a condições climáticas o dia todo.

Além disso, os agentes também observaram placas quebradas de “uralita” (material considerado altamente tóxico), paletes de madeira com bordas e até uma base de cama de metal, com a qual os animais poderiam se machucar. O terreno tinha um grande número de buracos e pedras, onde os animais viviam com suas fezes e chorume.

Durante a inspeção, eles encontraram três cavalos em um estábulo que não possuíam um microchip ou uma marca alternativa autorizada e, embora não parecessem desnutridos, faltavam as condições sanitárias e de higiene no local onde foram encontrados, faltava uma área de coleta de esterco, bebedouros automáticos e qualquer outra medida adequada para a espécie.

Uma vez localizados e identificados os donos da propriedade e os donos dos animais, estes declararam que não possuíam registro documental dos animais, nem cartões de identificação e controle de saúde, pelos quais foram denunciados.

Da mesma forma, guardas civis do Seprona de Garajonay, na ilha de La Gomera, investigaram um homem de 42 anos que mora no município de Hermigua por ter um cachorro em estado grave de desnutrição. Os supostos crimes relacionados à proteção da flora, fauna e animais domésticos são imputados a ele.

A ação começou após receberem um aviso de um cidadão sobre o estado de um cachorro que ele se encontrava em sua propriedade. Ao chegar ao local, os agentes verificaram que o animal estava em uma condição física lamentável, além de viver em péssimas condições higiênico-sanitárias. Ele apresentava um estado grave de desnutrição e feridas em todo o corpo, o que poderia ter sido causado por várias doenças, pois ele não estava sendo cuidado ou atendido.

Por outro lado, os agentes do Posto de Granandilla de Abona estavam cientes da existência de vários corpos de cães mortos no fundo do barranco do Rio, localizado na fronteira entre os municípios de Arico e Granadilla de Abona.

Mais tarde, os agentes do GREIM foram ao local e puderam observar de cima do barranco os corpos sem vida dos animais. Depois de descerem cerca de 60 metros de profundidade no barranco e chegarem ao local onde os corpos foram encontrados, puderam verificar que havia 12 cães que não possuíam um microchip, alguns deles encontrados em sacos. Foi iniciada uma investigação para obter provas suficientes para esclarecer esse ato criminoso.

Tradução de Thaís Perin Gasparindo

Fonte: La Informacion

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.