Animais abandonados para morrer na fazenda Palmar no sul de Minas

Animais abandonados para morrer na fazenda Palmar no sul de Minas

Em junho desse ano, o site Coluna Bastidores publicou uma reportagem especial sobre casos de maus-tratos na Fazenda Palmar, localizada quase na divisa entre Minas Gerais e São Paulo, na cidade de Sapucaí-Mirim, hoje, com aproximadamente 6 mil habitantes. A reportagem completa pode ser acessada aqui. Passados três meses após sua publicação, o imbróglio continua com novas evidências de casos de maus-tratos.

Quem é Quem

A Fazenda Palmar é administrada pela Palmar Empreendimentos, cujo escritório localiza-se em Pinheiros, São Paulo, um dos bairros nobres da capital paulista. Importante ressaltar que, hoje, a Palmar Empreendimentos é composta por herdeiros. Rita de Cássia de Arruda Sampaio e Moacir Nicodemos Marte são os sócios administradores. Outros dois irmãos compõem o quadro societário da empresa como sócios minoritários.

Abandono

Recentemente, rumores voltaram a circular em Sapucaí-Mirim dando conta de que, ao todo, teriam sido encontradas no local 22 cabeças de gado em situação análoga à de abandono e omissão de cuidados. Destes, oito em condições extremamente precárias de saúde. No local também não havia água e a alimentação disponibilizada aos animais não seria em quantidade suficiente. Esses animais também não estariam vacinados e com os registros necessários em dia.

A situação degradante no local, de acordo com fontes ouvidas pela reportagem, foi constatada por Ana Paula Condado Marte, uma das sócias minoritárias, que entrou nas dependências da fazenda no último dia 1º de setembro, acompanhada dos seus advogados e de uma equipe de veterinários.

Abandonados para Morrer

A entrada na fazenda de Ana Paula foi sem autorização do gestor Maurício Pupio, nomeado pelos administradores – para resgatar e cuidar das cabeças de gado aparentemente abandonadas.

O médico veterinário Dr. Ricardo Cury foi contratado para vistoriar esses animais. “Quando cheguei lá, o gado estava abandonado, em local de mata nativa, sem cobertura, água e alimento”, disse, quando contactado pela reportagem. “Os animais estavam extremamente doentes e debilitados. Algumas vacas estavam urinando sangue”, comentou.

De acordo com ele, neste primeiro momento, os animais foram marcados, identificados e tiveram um tratamento iniciado. “Importante que esse tratamento continue para que eles possam se recuperar o mais rápido possível”, finalizou. Os laudos do veterinário também foram apresentados à justiça.

O resgate também contou com a colaboração de outras pessoas – que desde então acompanham in loco a situação dos animais. Uma delas relatou à reportagem que “as vacas estavam em completa fraqueza, caindo de fome e amamentando bezerros já crescidos”.

Animais abandonados para morrer na fazenda Palmar no Sul de Minas

Vacinação

Durante todo o ano, o Ministério da Agricultura e Pecuária tem realizado campanhas e orientado os pecuaristas a respeito da importância da vacinação. Os bovinos podem ser atacados por diversas doenças que causam gran es prejuízos aos criadores.

Muitas dessas doenças podem ser transmitidas aos homens. Entre essas doenças, podemos mencionar, por sua importância e pelos grandes prejuízos que podem causar, a febre aftosa. Apesar de perigosa, felizmente, ela já não é mais um problema sem solução, graças à existência de uma vacina bem eficiente, que possibilitou a erradicação deste mal no Brasil. As vacinas contra a febre aftosa e a brucelose – causada por uma bactéria e transmitida ao homem por contato direto ou indireto com animais e seus produtos derivados contaminados – são consideradas obrigatórias. Hoje, a Palmar, ao não vacinar seus animais, oferece riscos não apenas a eles, mas também à população de Sapucaí-Mirim.

Clima de Tensão

Uma ex-funcionária da fazenda, que pede para não ser identificada, relata ter sofrido assédio moral do gestor quando ainda trabalhava no local. “Ele me ameaçava de demissão caso eu contasse para qualquer pessoa o que acontecia aqui em relação aos animais”, diz.

De acordo com ela, tanto o poder público quanto a população, não têm noção do que de fato acontece no local. “Para o povo de Sapucaí-Mirim, trata-se de uma briga de herança. As pessoas não têm noção das coisas que tem acontecido ali”, afirma.

Pupio é um dos sócios da Companhia de Rodeio 2 Irmãos. Na cidade, organiza o “Sapucaí-Mirim Rodeio Festival”. Ele também promove eventos semelhantes em cidades vizinhas e como gestor da Fazenda Palmar comparece no local apenas duas vezes por semana, segundo relatos obtidos.

Pupio é sobrinho da cunhada do atual prefeito de Sapucaí-Mirim, Nilson Gonçalves Trindade, o Nilsinho (PP).

Posicionamento

Procurada pelo site e questionada a respeito dos fatos, Ana Paula Cornado Marte se posicionou através do envio de uma nota pelos seus advogados.

“A Sra. Ana Paula Cornado Marte, quanto aos fatos indagados por esse jornalista, esclarece que, no limiar de agosto foi informada sobre a existência de dezenas de cabeças de gado em situação de abandono em áreas supostamente arrendadas da Fazenda Palmar, diligenciou para proceder a urgente apuração da veracidade das informações. Em ato contínuo, a Sra. Ana Paula tomou as medidas que se mostraram cabíveis e indispensáveis para o resgate e proteção dos animais, garantindo tratamento veterinário, alimentação, preservando seus direitos e coibindo quaisquer práticas de crueldade.

Esclarece, ainda, que ela assumiu todo o ônus e os esforços associados ao resgate, incluindo aspectos físicos e financeiros, bem como reportou a situação ao Ministério Público de Minas Gerais em Paraisópolis.

Em virtude de sua atuação em defesa dos animais, tanto na mencionada ocorrência quanto nos demais casos relacionados à Fazenda Palmar, a Sra. Ana Paula tem enfrentado represálias e notificações, além de ameaças veladas. No entanto, ela reitera seu compromisso em continuar seu trabalho de proteção aos animais e deposita toda a sua confiança nas investigações das autoridades competentes”.

Fonte: TV Uai