Animais começam a ser retirados do Parque Treze de Maio, no Recife; prefeitura vai substituir zoológico por praça para crianças

Animais começam a ser retirados do Parque Treze de Maio, no Recife; prefeitura vai substituir zoológico por praça para crianças
Animais silvestres do Parque Treze de Maio devem passar por reabilitação antes de reintrodução na natureza — Foto: Carol Bezerra/Divulgação

Aves silvestres foram recolhidas, na manhã desta sexta-feira (20), do Parque Treze de Maio, no bairro da Boa Vista, no Centro do Recife (veja vídeo abaixo). A prefeitura da capital pernambucana iniciou a retirada de animais do local e informou que eles vão passar por reabilitação antes de serem reintroduzidos na natureza.

VÍDEO: Aves do Parque Treze de Maio foram recolhidas por agentes da CPRH e Emlurb

No lugar do zoológico do Parque 13 de Maio, será construída uma praça temática para crianças, de acordo com a prefeitura do Recife, que não informou um prazo para a entrega do novo espaço.

A operação foi realizada por equipes da Agência Estadual de Meio Ambiente de Pernambuco (CPRH) e da Empresa de Manutenção e Limpeza Urbana (Emlurb). Um vídeo enviado ao WhatsApp da TV Globo mostra agentes recolhendo aves que estavam nos viveiros do parque.

As aves que viviam dentro do zoológico do parque vão ser transferidas para o Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas Tangara), localizado no bairro da Guabiraba, na zona norte do Recife, para passar por avaliação médica.

Ainda segundo a gestão municipal, os animais que estiverem aptos a serem reintroduzidos na natureza passarão por um processo de reabilitação antes de serem devolvidos ao meio ambiente. Se esse procedimento não for possível, eles devem ser direcionados a santuários ou centros de triagem específicos.

Em resposta ao g1, a Prefeitura do Recife informou que 48 animais foram retirados do zoológico do Parque 13 de Maio nesta sexta (20). Entre as espécies removidas estão arara-canindé, rolinha cinza, patativa e seriema.

Esclareceu também que o zoológico do Parque Treze de maio funciona desde a inauguração do parque, há 50 anos, e que, antes de serem transferidos para o Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas Tangara), os animais passarão por avaliação médica.

No Cetas Tangara – “órgão vinculado ao Governo do Estado que tem a finalidade de receber, identificar, marcar, triar, avaliar, recuperar, reabilitar e destinar animais silvestres” – os animais passarão por um processo de reabilitação para serem reintroduzidos na natureza; “ou, quando não for possível, em santuários ou centros de triagem (CRAS) específicos, com o intuito de devolvê-los para a sua fauna e flora original”.

Ainda de acordo com a gestão municipal, após a completa retirada dos animais do Parque Treze de Maio, será feito um momento de escuta com os frequentadores do parque sobre a formatação desejada para a Praça da Infância temática que será implementada no lugar.

O que disse o Ibama?

Segundo o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), a operação de retirada dos animais foi conduzida pela Agência Estadual do Meio Ambiente (CPRH), com apoio do Ibama, para remover parte dos animais silvestres presentes no Parque 13 de Maio.

Segundo o órgão ambiental, a previsão é que todos os animais sejam transferidos até o dia 15 de novembro, permanecendo sob a responsabilidade do estado.

De acordo com a nota enviada pelo Ibama à redação da TV Globo, a ação é importante porque “corrige um passivo histórico, que é a permanência de animais silvestres em ambientes inadequados, principalmente pelo fato do parque estar situado em um centro urbano, com poluição ambiental e sonora”.

O Ibama também destacou que a transferência dos animais foi realizada por técnicos capacitados, para assegurar o bem-estar e a segurança dos animais e que os cuidados são necessários para “preservar a biodiversidade e promover a saúde e segurança das populações animais envolvidas”.

Fonte: g1

Nove razões para não visitar zoológicos

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.