PE Petrolina castracao H

Animais domésticos poderão ser castrados gratuitamente em Petrolina, PE

Dia 18 de agosto haverá uma reunião no Ministério Público. Castração servirá para controle populacional de animais no município.

Por Amanda Franco

PE Petrolina castracao

Os animais domésticos de famílias de baixa renda de Petrolina, no Sertão pernambucano, poderão ser castrados gratuitamente. O projeto foi apresentado pela Organização Não-Governamental (ONG) Proteger à Prefeitura da cidade, onde foi firmada uma parceria entre os órgãos. Entretanto, apenas após uma reunião das duas instituições com um represente da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) no Ministério Público (MP), poderá estruturar melhor o projeto.

A reunião está agendada para o dia 18 de agosto. Devem estar presentes um representante do Diretório do curso de Medicina Veterinária da Univasf, além do diretor da Vigilância Sanitária do município, Jarbas Costa, representantes da ONG e a promotora do Meio Ambiente, Ana Rúbia. “Vamos ver o que é possível fazer para que aconteçam mutirões de castração utilizando a estrutura do Hospital Veterinário (HV) e os profissionais. Temos que ver o que pode ser feito neste sentido”, disse a advogada da ONG Proteger, Pâmela Durando.

A prioridade é que o serviço seja destinado a animais de pessoas que não têm condições de pagar pela cirurgia de controle populacional dos animais, mas, a depender do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado entre os órgãos envolvidos, a castração seja ampliada aos animais de rua.

“Vai depender dos recursos que a prefeitura vai disponibilizar, se com material ou com o profissional. Também teríamos que saber o tipo de castração feita no HV, se por incisão ou gancho. Teríamos que ver como a população vai poder receber o serviço, se terá que fazer inscrição ou pelo registro da Secretaria de Vigilância em Saúde. Isso deve ser discutido na reunião”, ressaltou Pâmela Durando.

“Nossa meta é a castração. Não adianta só resgatar e ter cadelas parindo na rua. Pedimos ajuda ao município e a proposta foi apoiada”, disse a voluntária da ONG Proteger, Cristiana Moraes. Caso haja um acordo, a castração será preferencialmente para as fêmeas. A reunião está agendada para às 9h no Ministério Público.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.