Animais feridos nos incêndios florestais da Turquia encontram novos tutores e se recuperam

Animais feridos nos incêndios florestais da Turquia encontram novos tutores e se recuperam
Um gato sobrevivente do incêndio tratado em uma clínica em Antalya, no sudeste da Turquia. (AA PHOTO)

Veterinários e ativistas voluntários ajudaram os animais que sofreram pelo resultado dos incêndios florestais que queimaram por dias na província turca Antalya.

A cidade de Manavgat, em Antalya, estava em um dos lugares mais atingidos durante o longo período dos incêndios florestais que começaram pela Turquia no início de julho e continuaram até as primeiras semanas de agosto. Os fogos, que tomaram oito vidas, também mataram uma grande quantidade de gado nas áreas rurais, juntamente dos animais que chamam as florestas de seu lar, e gatos e cães de rua que se viram presos entre as chamas. Outros conseguiram escapar com lesões e ferimentos. Veterinários em todo o país correram até as áreas atingidas pelo fogo e montaram hospitais para os animais. As ONGs Animal Rights Federation (HAYTAP) e Paw Guards estabeleceram dois hospitais em Manavgat.

Quase um mês depois do último fogo se extinguir, cães, gatos, ovelhas, vacas e outras espécies feridas nas chamas se recuperam lentamente enquanto amantes de animais procuram adotá-los.

No começo deste mês, o fundador da Paw Guards, Erkin Erdoğdu, disse à Agência Anadolu (AA) que os voluntários trabalharam pesado para ajudar os animais durante os incêndios, e contou que eles montaram um pequeno hospital dentro de um abrigo municipal. A ONG também forneceu medicamentos e equipamentos de tratamento para cuidar dos animais feridos. Os tutores dos animais receberam alimentos e medicamentos para seus animais. A Paw Guards supervisionou a catalogação dos animais resgatados dos incêndios e retornados aos seus tutores depois de finalizado seu tratamento. Cães e gatos de rua tratados no hospital foram adotados. A organização também trabalhou em Muğla, uma província em Antalya que sofreu com os incêndios mais ou menos na mesma época e ajudou animais no meio das chamas desastrosas. Animais selvagens também se beneficiaram do cuidado dos ativistas. Erdoğdu disse que usaram drones e equipamentos térmicos para detectar e resgatar répteis e animais endêmicos das florestas. Nisa Türkkan, uma agente da Paw Guards, disse que havia somente 300 voluntários em campo durante os incêndios. “Nós resgatamos um grande número de esquilos, cabras, ovelhas, vacas, gatos, cães e tartarugas. Testemunhamos a sobrevivência milagrosa de alguns animais. Alguns perderam membros e outros sofreram lesões sérias”, ela contou. Türkkan disse que recebeu uma enorme quantidade de pedidos para adoção.

Zafer Erkan, um veterinário que trabalha em um abrigo em Manavgat para animais de rua, diz que a maioria de seus pacientes dentro da clínica do abrigo apresentou queimaduras e inalação de fumaça que danificou seus pulmões. “Nós recebemos animais, tanto os que nossa equipe encontrou quanto os trazidos pela população local. Tivemos cerca de 4.000 casos e aproximadamente 70% se recuperaram”, ele disse.

Tradução de Alice Wehrle Gomide

Fonte: Daily Sabah

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.