Animais são achados mortos e com sinais de agressões em regiões de SP, diz população

Animais são achados mortos e com sinais de agressões em regiões de SP, diz população

Pena por crime varia de três meses a um ano de prisão, afirma delegado. Moradores de Pereiras (SP) dizem que corpos são largados em ruas e em casas.

Nove animais domésticos foram encontrados mortos com sinais de envenenamento e espancamento nos últimos sete dias, segundo moradores do bairro Serra, em Pereiras (SP). Os corpos de cães e gatos são jogados nas ruas e até dentro das casas. A pena por crime deste tipo pode variar de três meses a um ano de prisão, segundo o delegado Luiz Henrique Nunes, da Polícia Civil de Itapetininga (SP).

SP pereiraseitapetininga mortes 1Apesar de a notícia estar no ‘boca a boca’ da população, as mortes não estão sendo investigadas, já que nenhum tutor de animal fez registro na delegacia. O delegado Luiz Henrique Nunes orienta para que se faça o boletim de ocorrência (BO) e, em casos de envenenamento, que um veterinário seja procurado. “É importante fazer o registro, pois em ocorrência por envenenamento facilita o trabalho da polícia se levar o animal em um profissional da área para ter laudo técnico.”

Andressa Ferreira conta que o filho sente falta do cão de estimação. “Esquecemos o portão aberto e o cachorro escapou. Só deu tempo de entrar em casa, beber um pouco de água e ele tombou. Foi uma maldade o que fizeram com ele”, diz a tutora do animal que é um dos encontrados mortos na rua.

O prensista Aguinaldo Florêncio Júnior foi surpreendido pela notícia dada pela mãe. “Ela me avisou que o nosso cachorro estava morto atrás do muro de casa. Encontrei ele em uma sacola todo esticado. Deixaram só pele e osso. Pelo que os vizinhos têm relatado, eu acho que é a mesma pessoa que tem matado os bichos nos últimos dias”, afirma.

Rudnei Justo perdeu sete gatos. Ele espera descobrir o autor das mortes. “Minha esposa viu os gatos entrarem cambaleando em casa. Não foi o primeiro caso e, inclusive, vou instalar câmeras de segurança na fachada de casa porque eu quero pegar quem está matando os bichos”, avisa.

Inconformada com a situação, a estudante Laís Karen Benício relata que o problema com a morte dos cães e gatos se estende por toda a cidade. “Estão matando muitos animais e não são de rua, na maioria das vezes eles têm seus tutores. Temos que tomar alguma providência, pois não pode ficar assim”, fala.

SP pereiraseitapetininga mortes 2

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.