Animais também sentem frio. Veja como doar agasalhos na Baixada Santista.

Podem ser doados cobertores, mantas, roupas, camas e casinhas próprias para cães e gatos.

O inverno já chegou e, com ele, as temperaturas mais baixas, que obrigam a tirar os casacos do armário. Mas assim como os homens, os animais também sofrem com o frio. Por isso a Campanha do Agasalho Animal está arrecadando peças para doação à animais carentes.

Podem ser doados cobertores, mantas, roupas, camas e casinhas próprias para cães e gatos. 

As peças serão doadas a animais que residem em abrigos, centros de controle de zoonoses, cuidadores de animais da Cota 200 e também para pets de moradores de rua. 

A ideia, segundo a voluntária que atua pela causa animal, Maria do Rosário Garcia, é que os animais fiquem protegidos das baixas temperaturas da estação, principalmente os que vivem em situações de vulnerabilidade. “Muitos animais de rua já têm a saúde debilitada e o frio só piora a situação deles”, reforça.

As doações podem ser feitas até 10 de agosto, em postos de arrecadação nas cidades de Santos, São Vicente, Guarujá e Cubatão. Elas serão entregues aos animais na medida em que forem doadas.

Veja abaixo os postos de arrecadação:

Santos

– Agonn Academia (Rua Jorge Tibiriçá, 9, Gonzaga, Av. Bernardino de Campos, 355, Campo Grande, Rua Alexandre Martins, 173, Aparecida)

– Pelos Patas e Cia ( Rua Marechal Deodoro, 15, Gonzaga)

– Box Brasil Vidros (Rua Lucas Fortunato, 168, Vila Mathias)

Auto Posto Ypiranga (Av. Ana Costa, 341, Gonzaga)

São Vicente 

– Agonn Academia (Av. Presidente Wilson, 456, Itararé)

– CRV Clínica Veterinária (Rua Walt Disney, 12, Cidade Naútica)

Guarujá 

– Agonn Academia (Avenida Ademar de Barros, 1.585, Vila Santa Rosa)

– PetShop Paraíso dos Bichos (Av. dos Caiçaras, 1149, Jardim Las Palmas) 

– Clinica veterinária Dra. Juliana Martins (Av. Thiago Ferreira 1.030, Vicente de Carvalho)

Cubatão

– Centro de Controle de Zoonoses (Rua Papa João Paulo I, 100, Sítio Cafezal)

Fonte: A Tribuna.com.br

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.