Animal é envenenado e encontrado morto na porta da redação de jornal, em Armazém, SC

Animal é envenenado e encontrado morto na porta da redação de jornal, em Armazém, SC
Foto de 29 de agosto, quando o animal apareceu na vizinhança.

Para quem acompanha nossa página no Facebook com frequência, provavelmente visualizou a publicação de 29 de agosto de 2016, onde relatamos que um cachorro estava nas proximidades de nossa redação em Armazém (Rua Emiliano Sá, 508). Como aparentemente o bichinho havia sido abandonado, sugerimos a adoção. Infelizmente não conseguimos encontrar um novo tutor para ele, com fome e sede nossa equipe e os vizinhos começaram a o alimentar diariamente e tratá-lo com carinho, de tão dócil o animal “fez amizade” rapidamente com as crianças da vizinhança.

Hoje (01) por volta das 14h, horário em que nossa equipe chegava para mais um dia de trabalho, encontramos o animal deitado em nossa porta, inicialmente suspeitávamos que o mesmo estava dormindo, porém ao averiguar constatamos que ele já estava morto, sendo que alguns minutos antes o mesmo estava em movimento na residência vizinha. Visivelmente o animal foi envenenado, estava saudável e adquirindo alguns quilos, quando apareceu estava magro, com alguns problemas na pele e a pata traseira quebrada.

Ele não causava transtornos pela noite, era muito dócil, não oferecia riscos para quem passava na rua. Na semana passada conseguimos encontrar um novo lar para ele, o futuro tutor o levaria nesta quinta-feira, algo que não acontecerá mais.

Este animal foi abandonado com toda certeza, magro e machucado, gostou do local que encontrou e acabou ficando por aqui, nestes dois meses sempre foi bem cuidado por todos, não saía das proximidades da redação, sempre ficava por aqui. Infelizmente nos despedimos do bichinho, que não tem culpa alguma desta atrocidade cometida por pessoas que chamamos de seres humanos. Quem os envenena está cometendo mais que um crime contra os animais, se faz isso com eles significa também que há coragem para envenenar pessoas e infelizmente estes não sabem o sofrimento que é provocado.

A indignação e a tristeza que fica por parte da vizinhança é enorme, nestes dois meses todos o tratavam com carinho, como se já estivesse por aqui durante anos. Você pode estar pensando que é só um animal, porém este poderia ser o seu bichinho de estimação, uma criança ou qualquer outro. Não há o que fazer ou como reparar, agora que mais um animal indefeso morreu devido a “brutalidade”, mas vale o recado de que nenhum ser merece passar por isso.

Caso você esteja com algum problema relacionado aos animais de rua, procure conversar com seus vizinhos ou o poder público, não saia colocando veneno, estes animais não tem culpa, são vítimas das ações de seres humanos terríveis que os abandonam.

Cedo ou tarde quem cometeu este crime é descoberto.

Estado em que animal morreu.
Estado em que animal morreu.

Matar animais é crime? Sim!

Matar cachorro – ou qualquer outro animal – é crime, sim. Não importa se o animal é doméstico, domesticado, silvestre, nativo ou exótico. O que trata disso é o artigo 32 da Lei dos Crimes Ambientais, de 1998. A lei prevê detenção de três meses a um ano, além de multa, para quem “praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar” qualquer tipo de animal. Se houver a morte do bichinho, a pena aumenta até um terço. Quem praticar “experiência dolorosa ou cruel em animal vivo, ainda que para fins didáticos ou científicos, quando existirem recursos alternativos” também pode sofrer a mesma condenação. No estado de São Paulo, a lei é mais específica ainda e proíbe o consumo de animais domésticos (churrasquinho de gato, nem pensar) e o sacrifício de cães e gatos com métodos cruéis, como câmara de gás ou eletrochoque. Em novembro de 2009, a polícia prendeu um casal em abatedouro em Suzano (SP) com 70 quilos de carne de cachorros mortos a machadadas. A carne era vendida a restaurantes orientais de São Paulo. Alguns animais considerados exóticos podem, sim, ser abatidos para consumo – desde que sejam criados em cativeiro. Nessa lista entram, por exemplo, coelho, javali, paca, capivara, avestruz, perdiz, tartaruga, jacaré e até cavalo. Matar barata, ratos e afins não é crime – eles são considerados pragas e não entram na classificação de animais nativos, exóticos, silvestres ou domesticados.

Por Tiago Boeing


Nota do Olhar Animal: Alguns dos animais chamados de sinantrópicos (baratas, ratos, etc.) são sencientes tal qual cães, vacas, porcos, humanos. Merecem, portanto, a mesma consideração moral.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.