MT VarzeaGrande caes ajuda adocao

Apesar de mobilização, mais de 20 cães precisam de ajuda para castração e adoção; veja como ajudar

Por André Garcia Santana

Mesmo com os resultados da ação de voluntários em busca de abrigo e comida, 23 cães ainda precisam ser resgatados da casa onde foram abandonados e vivem em situação de risco, em Várzea Grande, MT. Depois que o caso foi descoberto, na semana passada, dezenas de pessoas se mobilizaram, dispondo-se a ajudar de diferentes formas. Agora, além de parcerias e doações que garantam sua alimentação e castração, a prioridade dos protetores é encontrar “padrinhos”, que possam acolhê-los temporária ou definitivamente.

Famintos e em situação de total negligência, os bichos apresentavam doenças e ferimentos quando foram encontrados por Ananéri Cassol, que fez com que fossem alimentados e passassem por uma triagem, recebendo cuidados iniciais. De acordo com a voluntária eles pertenciam a uma idosa que faleceu há cerca de 60 dias, e sobreviveram graças à contribuição de vizinhos, que se esforçaram para conseguir comida para todos. Devido a estas condições, alguns animais mais fortes chegaram a escapar do local.

MT VarzeaGrande caes ajuda adocao2

Ela explica que a principal preocupação no momento é com a ração, uma vez que as quantidades são consumidas rapidamente pelo grande número de cachorros. Igualmente importante é a castração, para impedir que se proliferem, e a adoção, para garantir a saída da residência, que não apresenta condições de sobrevivência. “Como eles são muitos e não temos um espaço para abrigá-los, a solução para tirá-los de lá é essa! Precisamos de lares mesmo que temporariamente, para garantir alguns cuidados depois da castração.”

Envolvida há anos com esta causa, Ananéri afirma ainda que, mesmo depois de adotados, os cãezinhos passarão por um acompanhamento de sete meses, para que haja certeza de que serão bem cuidados em suas novas casas. A iniciativa tem por objetivo evitar que eles passem por maus tratos ou sejam usados com intenções ruins. “Até o momento quatro deles já foram castrados e possuem família nova. Ainda hoje, levarei mais três ao veterinário para o procedimento.”

MT VarzeaGrande caes ajuda adocao3

Sensibilizados pela história, profissionais conseguiram descontos na operação, cobrando um valor mínimo, uma vez que o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), não permitiria que este tipo de intervenção aconteça gratuitamente. Além destas necessidades também são válidas as contribuições com transporte do local até a clínica, o valor de seis sessões de quimioterapia, duas cirurgias nos olhos, 23 castrações, e remédios como cefalexina (antibiótico) e Doxi (remédio para doença do carrapato).

Ananéri, que sempre atuou em ONGs voltadas aos animais, afirma que estas organizações já estão superlotadas e também passam por dificuldades, e por esse motivo não poderiam receber os cachorros. A protetora conta ainda que, junto a um grupo de amigos estuda a fundação de uma organização para auxiliar e proteger animais em Cuiabá e Várzea Grande, o “Amor em Ação”. Ciente de que não há auxílio do Poder Público, a iniciativa contará com a solidariedade como principal aditivo para o trabalho.

MT VarzeaGrande caes ajuda adocao4

“Sempre colaborei com trabalho em ONGs e acabei me envolvendo com a causa até a cabeça, atuando também como protetora independente. No momento tenho quatro cachorros porque moro em lugar com pouco espaço, mas já tive muito mais. Ainda assim, sempre que me deparo com algum nestas condições, vou dando um jeito, levo pra casa da minha mãe, que já está cheia, ou de amigos. Estou disponível para levar interessados em adotar, veterinários solidários, quem possa ajudar, até o local. Basta entrar em contato”, diz.

Quem quiser ajudar pode entrar em contato com Ananéri por meio dos números (65) 8404-6488 ou (65) 9286-0151. A iniciativa também conta com um grupo no WhatsApp, no qual os valores arrecadados e gastos com os cães são disponibilizados diariamente para os usuários.

Fonte: Olhar Direto

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.