Após 3 dias de adaptação, elefanta Bambi entra em caixa especial e viaja de Ribeirão Preto, SP, ao MT

Após 3 dias de adaptação, elefanta Bambi entra em caixa especial e viaja de Ribeirão Preto, SP, ao MT
Bambi, elefanta que vivia em Ribeirão Preto (SP), na caixa em que será levada ao Mato Grosso — Foto: Reprodução / EPTV

A elefanta indiana Bambi deixou o zoológico de Ribeirão Preto (SP) na tarde desta quinta-feira (24) e iniciou a viagem de 1.270 quilômetros até o Santuário de Elefantes do Brasil, na Chapada dos Guimarães (MT), onde vai morar.

A transferência, autorizada pela Justiça e prevista inicialmente para acontecer na terça-feira (22), foi adiada duas vezes. De começo, o animal não se adaptou ao compartimento especial em que está sendo levado sobre um caminhão.

VÍDEO: Elefanta Bambi está a caminho do Santuário de Animais que fica no Mato Grosso

Ao longo do percurso, o comboio com o caminhão, dois carros com a equipe do Santuário e escolta da Polícia Rodoviária Federal deve fazer diversas paradas para alimentação da elefanta.

Uma câmera dentro da caixa, ligada a telas nos veículos, vai auxiliar o monitoramento da Bambi na viagem. A previsão de chegada ao Mato Grosso é para o sábado (26), de acordo com Daniel Moura, diretor do Santuário.

“O tempo de viagem vai depender de como ela vai se comportar no trajeto. Como ela acabou resistindo um pouco, muito mais do que os outros elefantes que a gente já fez transferência, pode ser que ela tenha um comportamento que a gente precise dar uma atenção maior. Isso não é um problema, está previsto, mas quanto mais cedo a gente chegar no Santuário, melhor para a Bambi. É a última vez que ela vai passar por esse processo”, diz Moura.

Caminhão com elefanta Bambi deixa Ribeirão Preto (SP) rumo ao Santuário de Elefantes do Brasil — Foto: Marcius Ariel / CBN Ribeirão
Caminhão com elefanta Bambi deixa Ribeirão Preto (SP) rumo ao Santuário de Elefantes do Brasil — Foto: Marcius Ariel / CBN Ribeirão

Operação

O processo de adaptação de Bambi à caixa especial para o transporte começou no dia 17. A estrutura conta com 18 janelas para circulação de ar, é protegida por um telhado que impede a entrada de chuva e sol em excesso e tem um piso que faz escoamento de resíduos líquidos. O peso do compartimento é de 5,5 toneladas.

Com alimentos, equipes do zoo e do Santuário atraíam a elefanta para dentro do espaço, que tem cinco metros de comprimento, três de altura e dois de largura.

A intenção era fazer com que ela entrasse e saísse de forma natural do ambiente e se sentisse cada vez mais à vontade. Isso aconteceu sem nenhum tipo de problema até a manhã de terça-feira, quando a movimentação para a viagem começou.

A elefanta Bambi dentro da caixa em que será levada de Ribeirão Preto, SP, até o MT — Foto: Carlos Trinca/EPTV
A elefanta Bambi dentro da caixa em que será levada de Ribeirão Preto, SP, até o MT — Foto: Carlos Trinca/EPTV

Segundo os técnicos, Bambi percebeu a presença do caminhão e de outras pessoas e ficou resistente em permanecer no compartimento. Diversas tentativas foram feitas ao longo do dia, mas a operação foi adiada para quarta-feira (23).

O comportamento do animal prosseguiu o mesmo. Os técnicos mudaram a estratégia. O teto da caixa foi retirado e a porta que dava acesso ao recinto em que ela vive foi aberta, deixando o ambiente mais familiar.

A tática foi repetida na manhã desta quinta-feira e deu certo, segundo o diretor do zoológico de Ribeirão Preto, Alexandre Gouvêa.

“Nós retomamos o trabalho hoje pela manhã mantendo novamente a caixa aberta. Ela foi entrando e saindo, melhorando em relação à resistência que ela estava oferecendo à caixa. A gente até estava pensando em outras estratégias para hoje a tarde, mas como ela melhorou muito, nós resolvemos insistir no procedimento e às 15h ela entrou na caixa”, explica.

Caixa onde a elefanta Bambi será transportada foi acoplada ao recinto onde ela vive em Ribeirão Preto, SP — Foto: Carlos Trinca/EPTV
Caixa onde a elefanta Bambi será transportada foi acoplada ao recinto onde ela vive em Ribeirão Preto, SP — Foto: Carlos Trinca/EPTV

Novo lar

Chegando ao Santuário, Bambi passará por avaliação da equipe de veterinários e ficará em um espaço de três hectares destinado a ela neste início de adaptação.

Depois, quando for se sentindo mais a vontade no local, começará a ter contato com os outros elefantes que moram na área, que tem um total de 30 hectares, equivalente a 300 mil metros quadrados, com riacho, lago, árvores e um espaço com lama.

A mudança de lar foi autorizada em agosto por meio de uma liminar da Justiça concedida ao Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal.

O órgão moveu uma ação civil pública contra o zoológico de Ribeirão Preto e a Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado, que deu parecer favorável à permanência da elefanta no município em 2014.

Moradores do Santuário de Elefantes do Brasil (SEB), nova casa da elefanta Bambi — Foto: SEB/Divulgação
Moradores do Santuário de Elefantes do Brasil (SEB), nova casa da elefanta Bambi — Foto: SEB/Divulgação

6 anos em Ribeirão

Bambi, de 58 anos e 3,7 mil quilos, é cega do olho esquerdo e tem problemas na mandíbula. O animal passou parte da vida no Circo Stankowich e morou no zoológico de Leme (SP) antes de ser levado a Ribeirão Preto. Na cidade, dividiu espaço com Maison, elefanta da mesma espécie que vive no recinto desde 2013.

Há seis anos, equipes do zoo iniciaram o processo de pareamento entre as duas, mas identificaram que Bambi se sentia dominada e acuada por Maison. Por isso, as elefantas se revezavam para utilizar o pátio externo do espaço destinado a elas.

Segundo o bosque de Ribeirão Preto, a aproximação dos animais só começou a apresentar sinais positivos em março deste ano, após reformas e adaptações no recinto.

Esse foi um dos motivos que levou o Santuário a iniciar as negociações para ter a tutela de Bambi, em 2018. O imbróglio também foi parar no Ministério Público e um inquérito foi aberto.

Cerca divide as elefantas Maison e Bambi no bosque de Ribeirão Preto, SP — Foto: Marcelo Moraes / EPTV
Cerca divide as elefantas Maison e Bambi no bosque de Ribeirão Preto, SP — Foto: Marcelo Moraes / EPTV

‘Bambi, vem pra manada’

No início de setembro, o Santuário lançou uma campanha de arrecadação de fundos para viabilizar a transferência de Bambi ao Mato Grosso.

Segundo a entidade, a ‘Bambi, vem pra manada’ conseguiu levantar R$ 150 mil em doações, sendo dois terços desse valor oriundos de ajudas estrangeiras.

O dinheiro vai ser usado para o transporte do animal, além de cuidados veterinários e compra de medicamentos e alimentação por seis meses.

A elefanta Bambi, de 58 anos, chegou ao zoológico de Ribeirão Preto, SP, há seis anos — Foto: Carlos Trinca/EPTV
A elefanta Bambi, de 58 anos, chegou ao zoológico de Ribeirão Preto, SP, há seis anos — Foto: Carlos Trinca/EPTV

Fonte: G1

Olhar Animal participa de ação pela libertação da elefanta Bambi do zoológico de Ribeirão Preto, SP