Após acidente e morte de tutor, cão permanece com o veículo no Detran-MS

Após acidente e morte de tutor, cão permanece com o veículo no Detran-MS

Por Ana Letícia Gaúna

Atualmente, não há quem duvide da fidelidade dos animais de estimação. Quando se toca nesse assunto, o primeiro bichinho a vir em mente é o cachorro, conhecido mundialmente como “o melhor amigo do homem”.

Esse assunto já rendeu alguns roteiros de filmes, um dos mais famosos é a produção cinematográfica intitulada no Brasil como Sempre ao Seu Lado. O filme estrelado por Richard Gere, ajudou a popularizar a história do famoso cão do ocidente, que até hoje é lembrado por sua lealdade ao tutor mesmo após a morte deste.

Aqui em Mato Grosso do Sul, mais especificamente no pátio do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MS) em Campo Grande, um fato chamou atenção dos servidores. É a história de um cão que estava com seu tutor no momento de um acidente de trânsito e que permanece no Detran junto ao veículo.

Vamos à história

No dia 26 de setembro de 2015, uma colisão frontal entre uma caminhonete Chevrolet Silverado e um Ford Belina ocorreu na MS 080 onde o condutor do carro de passeio de 52 anos – tutor do nosso personagem principal – ficou preso às ferragens e morreu no local.

O Corpo de Bombeiros foi acionado e fez a retirada do corpo, já o cachorro, que também estava no veículo no momento do acidente, não foi retirado. Como de praxe, o veículo foi encaminhado ao pátio do Detran. Possivelmente o motorista do guincho não viu que o animalzinho estava no interior do carro e o trouxe para o órgão.

Ao encontrar o cão machucado, a primeira reação dos servidores foi a tentativa de encaminhar o animal ao veterinário a fim de cuidar dos ferimentos, porém, o cachorro era muito arisco e fugia de todo mundo.

É aí que entra David Guimarães dos Santos, de 56 anos, prestador de serviço há 18 anos da empresa Luger. Ele não desistiu do cão e todos os dias quando chegava para o seu expediente ia alimentá-lo e deixar água potável.

Depois de um mês, David ganhou a confiança do cachorro e conquistou um companheiro para todas as horas. Com a aproximação, o cãozinho foi apelidado de “Menino”. Andando pelo pátio é possível ver que os dois estão sempre juntos. David conta que Menino o acompanha em todos os lugares e não atende o chamado de mais ninguém.

“Ele veio pequeno para cá e como eu adulei e alimentei, ele acabou se afeiçoando a mim. Quando estou arrumando minhas coisas para ir embora ele fica olhando com uma tristeza. Falo para ele ‘Menino, fica aí cuidando’ e ele fica. Quando chego no serviço outro dia ele fica numa alegria sem fim”, revelou David.

Há 10 meses, Menino permanece nas dependências do Detran e dorme todos os dias no veículo do seu ex-tutor. Ao questionar David sobre a concretização da adoção, ele contou que já possui dois cachorros em sua residência e acredita que eles não aceitariam mais um.

Quando convidei David para a entrevista, Menino o acompanhou até o local e ficou explorando cada lugar. Nos momentos em que voltava para perto do David, ele ia correndo e dando saltos. E ao tentar me aproximar, pude comprovar que Menino não aprecia mesmo a companhia de estranhos. Ele ficava o mais próximo possível de David e se escondia.

Apesar da sua história de superação e moradia, Menino aparenta ser um cão saudável, feliz e acima de tudo, leal. Ao final da entrevista, consegui capturar uma imagem dos dois indo embora juntos e que resume muito bem a história dos dois: o companheirismo.

MS campogrande cao solidario idest07219820160714155341001

Fonte: IDEST

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.