Após ataque, tutora de chimpanzé liga para a polícia e manda abatê-lo

Após ataque, tutora de chimpanzé liga para a polícia e manda abatê-lo

Um polícia do Oregon (EUA) viu-se obrigado a abater um chimpanzé, depois de o ter atacado a filha da própria tutora. O animal foi abatido a pedido dela.

Segundo a NBC News, o animal vivia com a família há 17 anos. No domingo, terá saído da sua gaiola e atacou uma mulher de 50 anos.

A tutora do animal, uma mulher de 68 anos e a filha, precisaram se esconder na cave da casa, para fugir do animal que tinha entre 90 e 110 quilos.

Teria sido a própria tutora do animal que ligou para a polícia informando que teriam de abatê-lo “Se não estivesse aqui presa com ela, eu própria iria buscar a minha arma e matava-o”, teria dito a mulher, que temia pela vida de ambas.

A polícia respondeu ao pedido e o chimpanzé acabou abatido com um tiro na cabeça.

A filha da tutora do animal foi levada para o Hospital Santo António, em Pendleton e apresentava vários ferimentos nos braços e pernas.

Um advogado da People for the Ethical Treatment of Animals disse que Brogoitti “há muito tempo privava o animal da companhia de outros chimpanzés”, atribuindo à dona a culpa do ataque. 

Por Deyvid Alan

Fonte: CGN


Nota do Olhar Animal: Animal silvestre não é “pet”, não são brinquedos à disposição para fazerem “gracinhas” para seus tutores. Cada um deles têm sua personalidade e, principalmente, têm seus interesses próprios. A decisão de abatê-lo é inclassificável, causa repulsa. Mais vergonhoso é que agentes públicos tenham atendido à solicitação, não acionando equipe competente para a captura e destinação do chimpanzé. Todo o episódio foi lastimável.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.