Após denúncia do ND Mais, homem que matou cachorra Megg atropelada no Natal é indiciado

Após denúncia do ND Mais, homem que matou cachorra Megg atropelada no Natal é indiciado
Cachorrinha foi atropelada na noite de Natal, em São José – Foto: Cedido/ND

Após denúncia realizada pelo ND Mais em dezembro de 2023, a Polícia Civil concluiu as investigações sobre o cruel atropelamento que matou a cachorra Megg, ocorrido na noite de Natal, em São José, SC.

Após as investigações, incluindo obtenção de imagens de câmera de segurança e depoimento de testemunhas, além do apoio do Núcleo de Inteligência de São José, o suspeito foi identificado.

Conforme a DPA (Delegacia de Proteção Animal), ele foi interrogado e indiciado pelo crime de maus-tratos qualificado pela morte do animal, o que pode acarretar uma pena máxima de 5 anos de prisão, além de multa.

Vale ressaltar que, embora não exista uma figura específica de “omissão de socorro a animais”, o condutor que atropela um animal e foge, quando há a possibilidade de prestar socorro, é considerado responsável pelo resultado, seja ele dor física ou até mesmo a morte do animal por falta de atendimento adequado em tempo hábil.

O inquérito policial foi concluído e encaminhado para o Poder Judiciário e agora aguarda as próximas etapas do processo legal.

Relembre o caso da cachorra Megg
Na noite de Natal (25), Jociane e seus familiares estavam sentados na calçada quando testemunharam a tragédia do atropelamento brutal de Megg, sua cachorra, por uma caminhonete em alta velocidade.

Moradora do bairro Potecas, em São José, a tutora viu momentos de festividade se transformarem em pesar.

Megg era muito especial para a família – Foto: Cedido/ND
Megg era muito especial para a família – Foto: Cedido/ND

Segundo o relato ao ND Mais, durante a celebração, a família, buscando alívio do calor e com falta de movimento, optou por permanecer sentada em frente à casa para que a cadelinha pudesse fazer suas necessidades.

Megg, acostumada a passear durante o dia com a guia, aproveitou a ocasião para fazer xixi na rua, sem a coleira. Foi nesse momento que a tragédia se desenrolou, narrada pela tutora.

A placa do carro não pode ser identificada no momento do acidente – Foto: Cedido/ND
A placa do carro não pode ser identificada no momento do acidente – Foto: Cedido/ND

Uma Hilux prata em alta velocidade surgiu na rua, não dando tempo para Jociane e Megg reagirem. Após pedirem ao motorista que parasse, ele ignorou e, conforme o relato da mulher, passou por cima da cachorrinha, que agonizou de dor.

Os esforços para alcançar o veículo foram em vão, e Megg não resistiu aos ferimentos, deixando a família devastada.

Completamente abalada, Jociane expressou a dor de perder um membro querido da família e o impacto emocional em seu lar.

“Esse indivíduo arruinou nosso Natal e o de meus filhos. Não há um dia em que meu filho não chore; enfrentamos um sofrimento profundo”, lamentou.

Por Ada Bahl

Fonte: ND+

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.