Após denúncia, PM encontra cães em situação de maus-tratos e um dele teve que ser sacrificado, em Lucélia, SP

Após denúncia, PM encontra cães em situação de maus-tratos e um dele teve que ser sacrificado, em Lucélia, SP
FOTOS: Diego Fernandes Silva / Folha Regional

Na manhã deste domingo (23), a Polícia Militar recebeu uma denúncia de que em uma casa localizada na Vila Monteiro haviam animais em situação de maus-tratos e ao verificarem as informações recebidas confirmaram o fato.

Ao chegar à residência que fica próxima da Estratégia de Saúde da Família Dr. José Carlos Machado, os policiais se depararam com dois cães que estavam bem magros e aparentando estar bastante debilitados. Não havia ninguém na casa, porém, momentos após, a proprietária do imóvel chegou e franqueou a entrada dos militares que acabaram encontrando no canto de um muro um outro cãozinho de aproximadamente três meses que teria passado a noite sob as fortes chuvas e já quase sem vida.

Um veterinário da Prefeitura e a secretária de saúde foram acionados para prestar suporte e verificar o estado dos animais.

O veterinário examinou os cães e relatou que “apesar de existir alimentação, os mesmos necessitariam de cuidados veterinários, exames e outros cuidados estando realmente em condições de maus-tratos”.

Ainda segundo o profissional, após examinar, constatou-se que o cão de cerca de três meses de idade teria quer ser sacrificado devido seu estado crítico.

O animal foi recolhido pela equipe de zoonoses e levado para eutanásia. Já quanto aos outros dois animais, a mulher se comprometeu em realizar exames de leishmaniose e outros em ambos.

FOTOS: Diego Fernandes Silva / Folha Regional

A Polícia Militar elaborou boletim de ocorrência de maus-tratos animais encaminhando o fato para a Polícia Civil onde a mesma será ouvida posteriormente respondendo pelo crime.

Vale destacar que a pena para este tipo de crime é de três meses a um ano de prisão e multa.

O caso segue sendo acompanhado pelas autoridades competentes

Fonte: Lucélia em Foco

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.