Após estudo inovador, a UE pressiona a proibição de pesticida que prejudica as abelhas

Após estudo inovador, a UE pressiona a proibição de pesticida que prejudica as abelhas
Foto: castleguard/Pixabay

Uma nova análise pelos assessores científicos de risco da UE descobriu que os neonicotinoides, os inseticidas mais utilizados no mundo, representam uma séria ameaça para abelhas e abelhas selvagens. Esta avaliação importante contribui para que os pesticidas prejudiciais sejam proibidos em todos os estados membros durante a votação que será realizada no próximo mês.

O relatório foi publicado pela European Food Safety Authority (EFSA) e apresentou conclusões com base na análise de mais de 1.500 estudos, informou o jornal The Guardian. Os neonicotinoides, que são agentes nervosos, já foram provados como prejudiciais para as abelhas. Agora, verificou-se que o risco para as abelhas varia de acordo com a colheita e a rota de exposição, mas “para todos os usos ao ar livre, havia pelo menos um aspecto da avaliação que indicava um risco alto”.

Pela primeira vez, a avaliação incluiu mamangabas e abelhas solitárias. Estabeleceu que o alto risco dos neonicotinoides para as abelhas não vem do seu uso em culturas não floríferas, mas de uma maior contaminação do solo e da água. Esta contaminação leva os pesticidas a aparecer em flores silvestres e nas culturas sucessivas. As novas conclusões são uma atualização importante e alarmante daquelas publicadas pela EFSA em 2013.

“A disponibilidade de uma quantidade tão importante de dados nos permitiu produzir conclusões muito detalhadas”, disse Jose Tarazona, chefe da unidade de pesticidas da EFSA. “Há variabilidade nas conclusões e alguns riscos baixos foram identificados, mas, em geral, o risco para os três tipos de abelhas que avaliamos é confirmado”.

O relatório foi bem recebido por muitos cientistas e ambientalistas que esperam restrições adicionais ao uso de neonicotinoides. “Nós estamos jogando roleta russa com o futuro de nossas abelhas há muito tempo”, disse Sandra Bell, da organização Friends of the Earth. “Os países da UE devem agora apoiar uma proibição mais severa”.

De acordo com a agência, os gestores de risco da Comissão Europeia e Estados-Membros irão agora considerar alterações potenciais às restrições atuais à utilização dos pesticidas em questão.

As abelhas são absolutamente cruciais para a produção de alimentos no planeta.  70 dos 100 alimentos principais cultivados em todo o mundo dependem de polinizadores, o que equivale a 90% da nutrição mundial. A EU aprovou uma proibição parcial aos neonicotinoides em abril de 2013, quando proibiu o uso de três neonicotinoides principais em culturas floríferas. Esperamos que as novas descobertas abranjam o caminho para uma proibição total ao uso do perigoso pesticida, que é citado como uma das razões principais para a queda no número de polinizadores nos últimos anos, e uma medida similar será considerada pelos EUA.

Por Aleksandra Pajda / Tradução de Ana Carolina Figueiredo

Fonte: One Green Planet 


Nota do Olhar Animal: A preocupação manifestada por ambientalistas refere-se ao papel das abelhas na produção de alimentos, a serventia delas para os humanos, nunca com os próprios animais como seres sencientes, como indivíduos.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.