Após flagrante de câmeras do Ciosp, homem é preso por maus-tratos a animais em Maricá, RJ

Após flagrante de câmeras do Ciosp, homem é preso por maus-tratos a animais em Maricá, RJ
Foto: Clarildo Menezes

Câmeras do Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp), vinculado à Secretaria de Ordem Pública, flagraram um crime de maus-tratos a animais com dois homens capturando vários pássaros em uma árvore na Barra de Maricá. Após análise das imagens e investigação, policiais civis da 82ª DP (Maricá) prenderam na quinta-feira (12) um dos homens em Araçatiba, na região central da cidade.

O flagrante pelas câmeras aconteceu por volta das 2h do dia 15 de maio, quando operadores do Ciosp identificaram a movimentação suspeita de duas pessoas na Avenida João Saldanha, altura da Rua 10, na Barra de Maricá. Com uma rede, a dupla captura vários pássaros em uma árvore. Em seguida, entram rapidamente em um carro e fogem. As câmeras acompanharam o veículo até a RJ-114, quando deixaram a cidade. Dessa forma, não foi possível realizar uma abordagem em flagrante.

Com as imagens, o secretário de Ordem Pública, Júlio Veras, entrou em contato com o delegado Bruno Gilaberte, titular da 82ª DP (Maricá), que instaurou um inquérito para apurar o caso. Após investigações, os agentes chegaram a um endereço em Araçatiba onde os pássaros, aparentemente canários, estariam.

Na ação policial, foi realizado o resgate de, aproximadamente, 50 aves silvestres, sendo que algumas delas já foram encontradas mortas. Os pássaros encontrados com vida estavam em condições precárias, sem água e comida e, ainda, em gaiolas sujas e superlotadas.

Integração na segurança em Maricá

O Ciosp vem, ao longo do tempo, ajudando as forças de segurança na solução de diversos crimes no município. Fruto de uma integração realizada pela Secretaria de Ordem Pública (Seop). “O prefeito Fabiano Horta tem uma missão para que a Seop cumpra e a base dessa determinação é a integração com os órgãos públicos”, destacou Julio Veras.

O secretário listou as instituições com as quais se dá o processo integrativo. “Estamos construindo essa integração com a Polícia Civil, com a Polícia Militar e, também, com o Ministério Público, além das demais pastas. Essa integração vem nos ajudando muito no dia a dia do nosso trabalho, e estamos tendo êxito. Temos uma busca incessante pela qualidade, por isso também estamos investindo em infraestrutura e capacitação que culminam na excelência do serviço prestado”, disse Julio Veras.

De acordo com o coordenador-geral do Ciosp, guarda municipal Jean Medeiros, o órgão atendeu a solicitações de várias instituições de segurança pública.

“Sabemos que quem tem informação detém o poder. Hoje, o Ciosp já atendeu, pelo menos, nove instituições de segurança pública no primeiro quadrimestre do ano. Delegacias de Maricá, Niterói, São Gonçalo, e até mesmo Campinho, no Rio de Janeiro. Atendemos também a Delegacia Antissequestro, por exemplo. Mantemos, também, comunicação com outros centros de monitoramento para troca de informações. Essa integração é importantíssima para solução de casos que envolvam mais de uma cidade”, concluiu Jean Medeiros.

Estrutura do Ciosp

O Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) tem, atualmente, 720 câmeras espalhadas pelos quatro distritos de Maricá. Dessas, 576 são de CFTV, responsáveis pelo monitoramento, e outras 145 do tipo OCR, capazes de capturar documentos ou textos, além de fazer o reconhecimento óptico desses caracteres. Por meio desses equipamentos é possível fazer a leitura de placas de veículos e identificar irregularidades, como clonagem, por exemplo.

A sala de operações do Ciosp funciona 24h e conta com integrantes da Guarda Municipal, responsáveis por fazer a comunicação de ocorrências com a própria corporação e, também, com os policiais militares em serviço pelo Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis). Há, ainda, agentes da 6ª Companhia do 12º Batalhão de Polícia Militar (responsável pelo policiamento da cidade), que fazem a comunicação com as equipes de rua conforme a demanda.

Fonte: Portal Giro

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.